Espiritualidade e Sociedade - Bibliografia



Vídeos


João Berbel - Curas Espirituais - Reportagem da National Geographic Channel

Compartilhar



Trecho editado do vídeo Curas Espirituais apresentado pela Natgeo (National Geographic Channel) na série Tabu América Latina. Os outros vídeos indicados abaixo fazem parte do mesmo programa.



Rua Tarsila do Amaral 550
14409-422 - Franca -- SP
Telefone 16-3705-4411 -- Email: dralonso@com4.com.br

IMA - Instituto Medicina do Além

O IMA teve sua origem quando um espírita nordestino de nome Bemvindo Melo, que quando encarnado, Presidente da União Espírita e da Federação Espírita do Estado do Ceará - FEEC, dirigiu-se, por força de sua posição no meio espírita e ao seu precário estado de saúde até a cidade de Franca, município de São Paulo, divisa com o Triângulo Mineiro e as cidades de Santa Maria (onde foi criado o primeiro Centro Espírita no Brasil que contou com a presença em suas primeiras reuniões do cearense Dr. Adolpho Bezerra de Menezes, o Médico do Pobres), Sacramento (cidade do nosso amado Eurípedes Barsanulfo), Uberaba e São Leopoldo (cidade que contou com a presença física de Chico Xavier). (texto completo no link acima).

 

Índice:

- clique aqui para voltar para a página índice de vídeos -

 

Reportagem do jornal Folha de São Paulo sobre João Berbel:

ROGÉRIO PAGNAN
enviado especial da Folha de S.Paulo a Franca

31/10/2005

Com um cabo de bisturi sem corte, o vendedor de couro João Berbel, 50, redesenha silenciosamente a geografia da peregrinação espírita no Brasil e coloca Franca como um dos principais destinos das pessoas que buscam um tratamento espiritual.

Com o instrumento são feitas as cirurgias espirituais que atraem ao IMA (Instituto de Medicina do Além) cerca de 4.000 pessoas por semana. A média é superior ao número de fiéis que procuravam Uberaba (MG) até 2002, terra do médium Francisco Cândido Xavier, o Chico Xavier (1910-2002), que atraía entre mil e 1.500 seguidores por semana.

Para o presidente do IMA (Grupo de Assistência Espiritual Paz, Amor e Caridade, nome oficial), Adilson Salomão, 65, muitas das pessoas que buscam o tratamento em Franca são as mesmas que buscavam a cura em Chico. "O povo está desesperado, quer se agarrar em alguma coisa", disse.

As cirurgias realizadas pelo médium de Franca começaram em 1996, em sua própria casa, no Parque dos Pinhais. Foram cinco pessoas, entre elas a sogra, os primeiros pacientes. "Numa quarta-feira havia cinco pessoas lá em casa. Aí nós curamos uma mulher que tinha problema gravíssimo de coração, mas, como mulher é muito fofoqueira, ela esparramou para todo mundo e no outro dia tinha 50. E na outra semana tinha 500 pessoas na porta de casa", relembra Berbel, que diz incorporar o médico Ismael Alonso y Alonso, morto em 1964, para as cirurgias.

Com a proliferação de fiéis que ainda continua, a direção do instituto estuda ampliar o horário de atendimento --hoje restrito às quartas, quintas e sábados-- e constrói um hospital com 208 leitos em três pavimentos. No prédio, que deve estar concluído no final de 2006, os pacientes vão receber tratamentos da medicina convencional e da espiritual simultaneamente.

De acordo com o relações públicas do instituto Marcos Afonso de Almeida, 42, a intenção é construir também um complexo para tratamento fisioterápico, centro odontológico e uma escola para atender crianças carentes.

A estimativa de gasto total é de R$ 2 milhões, recursos provenientes da doações e da venda dos 105 títulos de livros escritos pelo próprio Berbel pela psicofonia (o médium diz ouvir a comunicação dos espíritos).

Todas as cirurgias são gratuitas, assim como os remédios para o tratamento. São doados de 160 mil a 170 mil frascos por ano, também de acordo com o relações públicas.

Além dos fiéis, o IMA também despertou a atenção dos conselhos ligados à saúde, do CRM (Conselho Regional de Medicina) e do CRF (Conselho Regional de Farmácia), que realizaram inspeções no local neste mês.

O conselho médico informou que a fiscalização não encontrou irregularidades no local porque não há "atos médicos" nem o exercício ilegal da profissão: "só questões religiosas". Para o CRM, pode haver o uso indevido da nomenclatura "hospital", "mas nada que seja da alçada do conselho".

O coordenador do CRF de Franca, Wilson Rigoni da Silva, 39, disse que o IMA foi multado em R$ 900 porque não tinha um farmacêutico responsável pela manipulação dos remédios. Para ele, há a necessidade de um profissional responsável mesmo com o uso apenas de produtos fitoterápicos (feitos com plantas). "Temos que aceitar que um leigo faça o serviço de um farmacêutico?", questionou.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u114723.shtml

Compartilhar