Paulo da Silva Neto Sobrinho

>    Reencarnação no Pentateuco

Artigos, teses e publicações

Compartilhar

Paulo da Silva Neto Sobrinho
>    Reencarnação no Pentateuco

 


Um dos graves problemas que trazem as teologias dogmáticas é fazer com que as pessoas percam completamente o senso crítico, passando a aceitar tudo que lhe dizem sem o mínimo questionamento. O Espiritismo, ao contrário, incentiva a análise crítica de tudo, exatamente como recomendou Paulo: “Examinai tudo e retende o que é bom”. (1Ts 5,21).

Vejamos essa passagem:

Iahweh! Iahweh... Deus de ternura e de piedade, lento para a cólera, rico em graça e em fidelidade; que guarda sua graça a milhares, tolera a falta, a transgressão e o pecado, mas a ninguém deixa impune e castiga a falta dos pais nos filhos e nos filhos dos seus filhos até a terceira e a quarta geração. (Ex 34, 6-7) (ver tb Ex 20, 5-6 e Dt 24,9-10). (Bíblia de Jerusalém, São Paulo: Paulus, 2002).

Quem é “ternura e piedade” imputaria um castigo ao inocente no lugar do verdadeiro culpado? Como alguém “rico em graça e fidelidade” penalizaria os filhos pelos erros de seus pais? Se se “tolera a falta, a transgressão e o pecado”, como, diante disso, ainda se fala em castigo eterno? Se “a ninguém deixa impune”, como alguém pode dizer que os erros estão simplesmente perdoados ou foram redimidos? Quando se “castiga a falta dos pais nos filhos”, como fica a questão da justiça? Apesar de ser “lento para a cólera”, como não falar em vingança se o castigo se estende “até a terceira e quarta geração”?

Será que a teologia tradicional conseguiria, usando argumentos coerentes, explicar todos esses questionamentos? Acreditamos que não. Tentariam é claro, mas usando de sofismas, que poderiam convencer os néscios. Entretanto, longe dela, podemos encontrar explicações razoáveis para tudo isso, sem perdermos o senso de lógica.

Para nossa análise do castigo partiremos da seguinte questão: Como, por ele, se poderia atender simultaneamente a tudo quanto foi questionado, sem a mínima contradição?

Antes diremos que a mudança de uma preposição é que coloca todo o texto em conflito, mas se a mantivermos como deveria ser então as coisas irão facilmente se encaixar. Estamos falando da preposição “até” que, segundo os mais entendidos, foi colocada no lugar de “na”, alterando o significado do texto original, para fugir, qual diabo da cruz, de um princípio que condiz plenamente com a justiça divina, mas que entra em conflito com os dogmas impostos pelos teólogos do passado.

Então o trecho ficaria assim: “castigo a falta dos pais nos filhos e nos filhos dos seus filhos na terceira e quarta geração”, isso nada mais é que o princípio da reencarnação, escamoteado por interesses escusos. Qualquer um de nós pode muito bem, pela reencarnação, nascer como seu neto ou bisneto, ficando justo o castigo, pois, na verdade, está se atingindo o verdadeiro criminoso, agora encarnado como um de seus descendentes.

Observar que, de acordo com o que estamos pensando, o texto não ficaria em contradição com: “Sim, a pessoa que peca é a que morre! O filho não sofre o castigo da iniqüidade do pai, como pai não sobre o castigo da iniqüidade do filho: a justiça do justo será imputada a ele, exatamente como a impiedade do ímpio será imputada a ele”.
(Ez 18, 20). (Bíblia de Jerusalém, São Paulo: Paulus, 2002).

Por outro lado, haveria plena concordância com tudo quanto está se falando de Deus, porquanto, Ele é realmente um Deus “de ternura e de piedade, lento para a cólera, rico em graça e em fidelidade”. O que faz também a questão da “tolerância da falta, da transgressão e do pecado”, ficar clara, mas, devemos convir que, tolerância não implica em perdão puro e simples, pois seria contrário à afirmativa de que Deus “a ninguém deixa impune”. Haverá sim, por questão de justiça, o castigo. Entretanto, esse terá que se harmonizar com o que já foi dito. O castigo divino deverá ser entendido como algo que tenha objetivo corretivo-educativo, buscando, dessa forma, o nosso aprendizado espiritual, conduzindo-nos à evolução e não como algo apenas de conotação punitiva.

Assim, caro leitor, a única coisa que pode atender à passagem analisada é o princípio da reencarnação, que apesar de ser um ensinamento claro de Jesus, ainda é negado pela liderança religiosa, que parece não estar muito preocupada em “juntar tesouros nos céus”, mas prefere isso sim juntar os daqui da Terra mesmo. “Pai, perdoai-lhes, pois não sabem o que falam” (Lc 23,34), diria Jesus a eles.

Jan/2006

Fonte: http://www.apologiaespirita.org/index.htm


topo

 

Visitem o site do autor - Paulo da Silva Neto Sobrinho
http://www.paulosnetos.net

 

Leiam outros artigos do autor

Paulo da Silva Neto Sobrinho

>  Afinal de contas, Deus perdoa?
>  Ajustes aos dogmas
>  A aparição de Jesus depois da morte
>  A Arca de Noé
>  A aura e os chacras no Espiritismo
>  Bodas de Caná, o casamento de Jesus?
>  As cartas de Paulo sobre os homossexuais
>  A Ciência desmente o Espiritismo?
>  A comunicação entre os dois planos
>  Comunicação com os mortos
>  O Consolador veio no Pentecostes?
>  Contra os Desafios sobre provas da vida após morte
>  O Controle Universal do Ensino dos Espíritos - CUEE, ainda vale?
>  A Conversa de Jesus com Nicodemos
>  O corpo de Jesus ressuscitado
>  Corpo físico e Espírito: qual é o mais importante
>  Corpos incorruptos
>  Os 10 mandamentos
>  Deus proibiu evocar-se os mortos?
>  Diante da Morte
>  E aconteceu no Sinai
>  Ecos do Passado - O paganismo no cristianismo
>  EQM: Prova da Sobrevivência da alma
>  E quanto ao Espírito não Sabes donde Vem
>  Espíritas abraçando a fé cega
>  Espírito de Pessoa Viva ao se manifestar conseguiria mudar de aparência?
>  Espírito de Verdade, quem seria ele?
>  Espíritos e médiuns não são infalíveis
>  Espíritos em Prisão
>  Os espíritos se comunicam na Igreja Católica
>  Os Espíritos Superiores e o livre-arbítrio
>  Evocar os espíritos: Moisés ou Kardec?
>  Os excluídos
>  Evolucionismo e Criacionismo
>  Os fatos provam a reencarnação
>  Flávio Josefo cita Jesus?
>  Freud no divã
>  A Gravidez de Espíritos
>  Homossexualidade na Visão Espírita
>  Imortalidade da Alma e a Bíblia
>  Incorporação por Espíritos
>  Inferno ou Purgatório?
>  Influência dos Espíritos em nossas vidas
>  Inspiração dos textos bíblicos
>  A irresponsável discriminação contra os homossexuais
>  Jesus é o Espírito de Verdade
>  Jesus ficava calado?
>  Jesus não é o Espírito da Verdade
>  Jesus pode ser considerado Deus?
>  Jesus teve ou não Irmãos?
>  Jesus veio cumprir a lei?
>  João Batista é mesmo o Elias?
>  Josefo, os fariseus e a reencarnação
>  Kardec não antecipou Darwin
>  Kardec reencarnou-se como Chico?
>  Manifestação de Espírito no Congresso Nacional
>  Manifestação de Espírito de pessoa viva: é possível em estado de vigília?
>  Mar Vermelho na “Arqueologia” de Ron Wyatt
>  Mas os mortos não estão proibidos de evocar os vivos
>  O Mau-Olhado na Ótica Espírita
>  Mediunidade de Incorporação
>  Mediunidade no tempo de Jesus
>  Mediunidade - percepção da Psique humana : proposição de um novo conceito para a mediunidade
>  A Memória Genética não explica a reencarnação
>  Os milagres existem?
>  Moisés – primeiro inquisidor
>  Os mortos estariam dormindo?
>  A mulher na Bíblia
>  Nada é definitivo nas obras básicas
>  Neurocirurgião muda de opinião após vivenciar uma EQM
>  Os nomes dos títulos dos Evangelhos designam seus autores?
>  Para entender o Espiritismo - Resposta ao “parapsicatólico”
>  O Papel dos Médiuns na Comunicação
>  Pedro, tu és Papa?
>  Perdão, punição, redenção, crença ou reencarnação?
>  O perispírito não é fluido vital
>  Possessão: há a posse física do encarnado?
>  Preexistência do Espírito
>  A profecia sobre a volta de Elias se realizou?
>  As provas da sobrevivência do espírito
>  Quais são as Obras Básicas?
>  Qual a primeira obra espírita que deve ser lida?
>  Os quatro Evangelhos de Roustaing
>  Quem era o discípulo a quem Jesus amava?
>  A Questão do Bom ladrão
>  Racismo em Kardec?
>  A reclamação de um defunto
>  Reencarnação - Bibliografia
>  Reencarnação, a prova definitiva
>  Reencarnação e as pesquisas científicas
>  Reencarnação e a evolução humana
>  Reencarnação e o inconsciente coletivo
>  A Reencarnação é um dogma dos espíritas?
>  Reencarnação no Concílio de Constantinopla - (Orígenes x Império Bizantino)
>  Reencarnação no contexto histórico
>  Reencarnação no Evangelho, A
>  Reencarnação no Pentateuco
>  Reencarnação x ressurreição física e penas eternas
>  Religião Espírita: é o que, de fato, é o Espiritismo
>  Ressurreição da Carne?
>  Ressurreição, o significado bíblico
>  Ressurreição ou Reencarnação?
>  Reunião de doutrinação (esclarecimento) de espíritos foi recomendada na codificação?
>  Reuniões mediúnicas de desobsessão (doutrinação ou esclarecimento de Espíritos)
>  Satanás – ser ou não ser, eis a questão
>  Segredos da supermemória
>  Será que os profetas previram a vinda de Jesus?
>  Será que Saul conversou com Samuel-espírito?
>  Sinal combinado para confirmar contato com os mortos
>  Só a reencarnação para explicar
>  Somente Espíritos Superiores trazem-nos novas instruções?
>  Sudário: relíquia verdadeira ou falsificação medieval
>  Teodora e as 500 prostitutas
>  Terrorismo Religioso
>  Todos nós somos médiuns
>  Torre de Babel: o carro na frente dos bois
>  Tradutor, traidor
>  Trindade - o “mistério” criado por um leigo, anuído pelos teólogos
>  A vida do espírito é só no corpo físico?

Leiam também de Paulo da Silva Neto Sobrinho, em co-autoria

Silva Neto Sobrinho, Paulo da & Silva, Vladimir Vitoriano da

 >  Deuteronômio – lei divina ou mosaica?

 
Visitem o site de Paulo da Silva Neto Sobrinho


 >>>   http://www.paulosnetos.net