Paulo da Silva Neto Sobrinho

>    Nascer, crescer, morrer, renascer ainda e progredir sempre, tal é a lei > frase atribuída a Allan Kardec

Artigos, teses e publicações


Compartilhar

Paulo da Silva Neto Sobrinho
>   Nascer, crescer, morrer, renascer ainda e progredir sempre, tal é a lei > frase atribuída a Allan Kardec

 

Não é raro ouvirmos de oradores e expositores espíritas que Kardec é o autor dessa célebre frase. Tentamos descobrir com alguns deles qual seria a fonte onde se basearam para passar essa informação ao público, mas nunca logramos êxito. Então, o recurso foi fazermos minuciosa pesquisa em todas as obras do Codificador para ver se nelas encontrávamos algo; porém, nada encontramos sobre o assunto. E já não tínhamos esperança de que um dia fôssemos desvendar isso.

Bem disse Jesus que "não há nada de escondido que não venha a ser revelado, e não existe nada de oculto que não venha a ser conhecido" (Mt 10,26; Lc 12,2), hoje, a luz se fez, e acabamos encontrando uma obra que fala dessa frase. Trata-se do livro Allan Kardec: o educador e o codificador, de Zêus Wantuil e Francisco Thiesen, uma publicação da Federação Espírita Brasileira. Como achamos que o que consta dessa obra pode, certamente, esclarecer o assunto e, consequentemente, apontar a sua origem, resolvemos por bem transcrever o seguinte trecho:

No bordo frontal da pedra que, pesando seis toneladas, serve de teto, acha-se gravado o apotegma que resume a doutrina kardequiana, de justiça e progresso:


Esta inscrição faltava à época da inauguração, tendo sido esculpida ainda em 1870 (39). Jean Vartier, que parcialmente biografou Kardec (40), escreve que ela fora calcada no capítulo IX da primeira parte da obra "Die Wahlverwandstschaften", de Johann Wolfgang von Goethe.

 

 

Vartier baseou-se na tradução francesa de Camille Selden, pseudônimo de Elise Krinitz, publicada em Paris, s. d., com prefácio datado de janeiro de 1872. De fato, na referida tradução - "Les affinités électives" -, a página 78, há referência a uma casa cujos fundamentos seriam então lançados. Na solenidade, um pedreiro (maçon), com o martelo numa das mãos e a colher na outra, procurou em pequeno discurso dizer que o edifício a ser levantado seria um dia destruído, acrescentando: "Naître pour mourir, mourir pour renaître, telle est la loi universelle. Les hommes y sont soumis, à bien plus forte raison leurs travaux".

O Sr. Vartier, com aquele seu apressado e mordente espírito crítico, deveria ter estudado mais a fundo o assunto. Descobriria, então, que no original alemão não há aquela frase, tal como está em francês; que a tradução francesa, feita com certa liberdade por C. Selden, fora publicada posteriormente a janeiro de 1872, mais de um ano após ter sido gravado o apotegma em questão no dólmen de Kardec; que, se houve plágio (como o Sr. Vartier quis insinuar), ele partiu do tradutor.

Não acreditamos, porém, em plágio de quem quer que seja. A frase em foco andava no ar, não é de Kardec, como pretendem alguns, e pode ser encontrada, com algumas variantes, em citações bem anteriores à desencarnação de Kardec, como, por exemplo, na obra "Clê de la Víe", de Louis Michel, organizada por C. Sardou e L. Pradel, editores, Rue du Hassard, 9, Paris, datada de 1º de agosto de 1857, p. 570:

"Saturées de l'aimant divin, de l'amour divin, des provisions divines de toute nature, les âmes solaires, par cet aimant, par cel amour, par tous ces divers agents cêlestes. font naître, vivre, circuler, évolutionner, mûrir, se transformer, monter au chemin ascendant, leurs soleils et leurs planètes, et, par les âmes de ces dernières, font jouir des mêmes avantages la plus obscure image de Dieu elle-même, l'homme, restê, encore, en dehors de l'unité; dès qu'il consent à s'y prêter un peu".

Em discurso pronunciado na presença de Kardec, no dia 14 de outubro de 1861, na Reunião Geral dos Espíritas de Bordéus, o Sr. Sabó disse textualmente:

"...pour aller à lui, il faut naître, mourir et renaître jusqu'à ce qu'on soit arrivé aux limites de la perfection..." ("Revue Spirite", 1861, p. 331.)

Vejamos também estas duas frases:

"Tout, tout, dan cette grande unité de la création, existe, naît, vit, fonctionne et meurt et renaît pour l'harmonie universelle".

"(...) il faut naître, mourir et renaître jusqu'à ce que l'on soit parvenu aux limites de la perfecion".

Estão elas em "Les Quatre Évangiles", J.-B. Roustaing, Tome Premier, Paris, Librairie Centrale, 24, Boulevard des Italiens, 1866, às páginas 191 e 227, respectivamente.

Notemos que a frase é substancialmente a mesma, sob várias formas, sempre, porém, com o mesmo sentido, em 1857, 1861, 1866 e finalmente em 1870, quando foi esculpida no frontispício do dólmen de Kardec, em três linhas:

NAÎRE, MOURIR, RENAÎTRE ENCORE
ET PROGRESSER SANS CESSE
TELLE EST LA LOI

 

Terá sido por tudo isso que o Espírito Emmanuel a atribui não a um ser humano em particular, mas sim ao Espiritismo? Com efeito, diz ele, na página intitulada "Problema conosco", inserta no livro "Justiça Divina" (F. C. Xavier, 3ª edição FEB, 1974, p. 84):

"E o Espiritismo acentua: "Nascer, viver, morrer, renascer de novo e progredir continuamente, tal é a lei". (os grifos são nossos [dos autores]).

______

(39) "Discours prononcés pour l'anniversaire de la mort de Allan Kardec. Inauguration du monument", Paris, à la Librairie Spirite, 1870, pp. 7/8. Neste opúsculo fui anexada uma estampa (vue) do dólmen de Kardec, "executada (executée) com o maior cuidado e a mais rigorosa exatidão pelo Sr. Pégard, gravador, conforme desenho feito pelo Sr. Sebille" (pp. 11 e 12).

Pégard, gravador em madeira, da Escola francesa, fez as gravuras do "Dictionnaire d'architccture" de Viollet-le-Duc e as da "Histoire populaire, anecdotique et pittoresque de Napoléon". (Apud E. Bénézit: "Dictionnaire des Peintres, Sculpteurs, Dessinateurs et Graveurs", nouvelle édition, tome sixième, Librairie Gründ, 1996, p. 571.)

(40) Jean Vartier: "ALLAN KARDEC, la naissance de spiritisme", Paris, Libraire Hachette, 1971, pp. 150/151.

(WANTUIL, Z. e THIESEN, F. Allan Kardec: o educador e o codificador. Vol. II. Rio de Janeiro: FEB, 2004, p. 285-288) (grifo nosso).

 

Vamos, por oportuno e atendendo à solicitação de um amigo, transcrever a tradução das frases em francês, constantes da Revue Spirite e Les Quatre Évangiles, pela ordem:

[...] para ir a ele, é necessário nascer, morrer e renascer até que se tenha chegado aos limites da perfeição, [...] (KARDEC, A. Revista Espírita 1861. Araras, SP: IDE, 1993, p. 331).

Tudo, tudo, na grande unidade da Criação, nasce, existe, vive, funciona, morre e renasce para a harmonia do Universo, [...] (ROUSTAING, J. B. Os quatro evangelhos – revelação da revelação. Vol. 1. Rio de Janeiro: FEB, s/d., p. 323).

[...] para chegar a ele, teria o homem que nascer, morrer e renascer até atingir os limites da perfeição. [...] (ROUSTAING, J. B. Os quatro evangelhos – revelação da revelação. Vol. 1. Rio de Janeiro: FEB, s/d., p. 387).

 

Fica bem claro, portanto, que a frase não é mesmo de Kardec. Sem nos colocarmos acima de ninguém, sinceramente, esperamos que, com as informações aqui apresentadas, possamos ter contribuído para que os nossos oradores e expositores tenham um maior esclarecimento do assunto.

 

Paulo da Silva Neto Sobrinho

Mar/2012.

 


Fonte: publicado na revista Espiritismo & Ciência, nº 95, São Paulo: Mythos Editora, jun/2012, p. 30-33

 

 



topo

 

 

Visitem o site do autor - Paulo da Silva Neto Sobrinho
http://www.paulosnetos.net

 

Leiam outros artigos do autor

Paulo da Silva Neto Sobrinho

>  Afinal de contas, Deus perdoa?
>  Ajustes aos dogmas
>  A Alma dorme no mineral?
>  Animais: as suas percepções e manifestações espirituais
>  A aparição de Jesus depois da morte
>  A Arca de Noé
>  A aura e os chacras no Espiritismo
>  Bodas de Caná, o casamento de Jesus?
>  As cartas de Paulo sobre os homossexuais
>  Caros espíritas, apresento-lhes a Revista Espírita
>  A Ciência desmente o Espiritismo?
>  A comunicação entre os dois planos
>  Comunicação com os mortos
>  O Consolador veio no Pentecostes?
>  Contra os Desafios sobre provas da vida após morte
>  O Controle Universal do Ensino dos Espíritos - CUEE, ainda vale?
>  A Conversa de Jesus com Nicodemos
>  O corpo de Jesus ressuscitado
>  Corpo físico e Espírito: qual é o mais importante
>  Corpos incorruptos
>  Crianças de 10 anos: aborto por estupro
>  As Curas através de médiuns indignos
>  Os 10 mandamentos
>  Deus proibiu evocar-se os mortos?
>  Diante da Morte
>  “Do átomo ao arcanjo” significa que o princípio inteligente estagiou no reino mineral?
>  E aconteceu no Sinai
>  Ecos do Passado - O paganismo no cristianismo
>  EQM: Prova da Sobrevivência da alma
>  E quanto ao Espírito não Sabes donde Vem
>  Espíritas abraçando a fé cega
>  O Espiritismo é uma religião?
>  Espírito de Pessoa Viva ao se manifestar conseguiria mudar de aparência?
>  Espírito de Verdade, quem seria ele?
>  Os Espíritos de mesmo nível evolutivo podem se substituir uns pelos outros
>  Espíritos e médiuns não são infalíveis
>  Espíritos em Prisão
>  Os espíritos se comunicam na Igreja Católica
>  Os Espíritos Superiores e o livre-arbítrio
>  Esquecimento do passado não é apertar a tecla delete
>  Evocar os espíritos: Moisés ou Kardec?
>  Os excluídos
>  Evolucionismo e Criacionismo
>  Os fatos provam a reencarnação
>  Flávio Josefo cita Jesus?
>  A flexibilidade mediúnica permite ao médium sintonizar-se com todos os Espíritos?
>  Fora da caridade não há salvação, a autoria e o significado
>  Freud no divã
>  A Gravidez de Espíritos
>  Há dogmas no Espiritismo?
>  Homossexualidade na Visão Espírita
>  Imortalidade da Alma e a Bíblia
>  Imposição das mãos (o passe)
>  Incorporação por Espíritos
>  Inferno ou Purgatório?
>  Influência dos Espíritos em nossas vidas
>  Inspiração dos textos bíblicos
>  Irresponsável discriminação contra os homossexuais (A)
>  Isso não tem base doutrinária
>  Jan Huss renasceu como D. H. L. Rivail
>  Jesus é o Espírito de Verdade
>  Jesus ficava calado?
>  Jesus na sessão espírita do Tabor
>  Jesus não é o Espírito da Verdade
>  Jesus pode ser considerado Deus?
>  Jesus teve ou não Irmãos?
>  Jesus veio cumprir a lei?
>  João Batista é mesmo o Elias?
>  Josefo, os fariseus e a reencarnação
>  Kardec não antecipou Darwin
>  Kardec reencarnou-se como Chico?
>  Léon Denis e Henri Sausse e as mensagens póstumas de Allan Kardec
>  O Livro dos Espíritos e as três mudanças de posicionamento da 1ª para a 2ª edição
>  Manifestação de Espírito no Congresso Nacional
>  Manifestação de Espírito de pessoa viva: é possível em estado de vigília?
>  Mar Vermelho na “Arqueologia” de Ron Wyatt
>  Mas os mortos não estão proibidos de evocar os vivos
>  Materializações de Allan Kardec e de Chico Xavier
>  O Mau-Olhado na Ótica Espírita
>  Mediunidade de Incorporação
>  Mediunidade no tempo de Jesus
>  Mediunidade - percepção da Psique humana : proposição de um novo conceito para a mediunidade
>  A Memória Genética não explica a reencarnação
>  Os milagres existem?
>  Moisés – primeiro inquisidor
>  Os mortos estariam dormindo?
>  A mulher na Bíblia
>  Nada é definitivo nas obras básicas
>  Nascer, crescer, morrer, renascer ainda e progredir sempre, tal é a lei > frase atribuída a Allan Kardec
>  Neurocirurgião muda de opinião após vivenciar uma EQM
>  Os nomes dos títulos dos Evangelhos designam seus autores?
>  Nos animais doentes poder-se-ia aplicar passe magnético?
>  Obsessão, processo de cura de casos graves
>  Para entender o Espiritismo - Resposta ao “parapsicatólico”
>  O Papel dos Médiuns na Comunicação
>  Pedro, tu és Papa?  
>  A pena de talião no Espiritismo
>  Perdão, punição, redenção, crença ou reencarnação?
>  O perispírito e as polêmicas a seu respeito
>  O perispírito não é fluido vital
>  Pluralidade dos mundos habitados
>  Possessão: há a posse física do encarnado?
>  Preexistência do Espírito
>  A profecia sobre a volta de Elias se realizou?
>  As provas da sobrevivência do espírito
>  Quais são as Obras Básicas?
>  Qual a primeira obra espírita que deve ser lida?
>  Os quatro Evangelhos de Roustaing
>  Quem era o discípulo a quem Jesus amava?
>  A Questão do Bom ladrão
>  Racismo em Kardec?
>  A reclamação de um defunto
>  Reencarnação - Bibliografia
>  Reencarnação, a prova definitiva
>  Reencarnação e as pesquisas científicas
>  Reencarnação e a evolução humana
>  Reencarnação e o inconsciente coletivo
>  A Reencarnação é um dogma dos espíritas?
>  Reencarnação no Concílio de Constantinopla - (Orígenes x Império Bizantino)
>  Reencarnação no contexto histórico
>  Reencarnação no Evangelho, A
>  Reencarnação no Pentateuco
>  Reencarnação x ressurreição física e penas eternas  
>  Relendo a Bíblia, revendo a teologia
>  Religião Espírita: é o que, de fato, é o Espiritismo
>  Ressurreição da Carne?
>  Ressurreição, o significado bíblico
>  Ressurreição ou Reencarnação?
>  Reunião de doutrinação (esclarecimento) de espíritos foi recomendada na codificação?
>  Reuniões mediúnicas de desobsessão (doutrinação ou esclarecimento de Espíritos)
>  Satanás – ser ou não ser, eis a questão
>  Segredos da supermemória
>  Será que os profetas previram a vinda de Jesus?
>  Será que Saul conversou com Samuel-espírito?
>  Os seres do invisível e as provas ainda recusadas pelos cientistas
>  Sinal combinado para confirmar contato com os mortos
>  Só a reencarnação para explicar
>  Somente Espíritos Superiores trazem-nos novas instruções?
>  Sudário: relíquia verdadeira ou falsificação medieval
>  Teodora e as 500 prostitutas
>  Terrorismo Religioso
>  Tiptologia, a prova de uma ação mental exterior ao médium
>  Todos nós somos médiuns
>  Torre de Babel: o carro na frente dos bois
>  Tradutor, traidor
>  Trindade - o “mistério” criado por um leigo, anuído pelos teólogos
>  Umbral, há base doutrinária para sustentá-lo
>  A vida do espírito é só no corpo físico?

Leiam também de Paulo da Silva Neto Sobrinho, em co-autoria

Silva Neto Sobrinho, Paulo da & Silva, Vladimir Vitoriano da

 >  Deuteronômio – lei divina ou mosaica?

 
Visitem o site de Paulo da Silva Neto Sobrinho


 >>>   http://www.paulosnetos.net