Espiritualidade e Sociedade





Adair Ribeiro

>   O papel de Amélie

Artigos, teses e publicações

Compartilhar

Adair Ribeiro
>    O papel de Amélie


Para tentar deixar mais claro a todos o que aconteceu após o desencarne de Allan Kardec, segue texto e pesquisa do CSI do Espiritismo.
Qual foi o papel de Amélie Boudet nos primeiros meses antes da criação da Sociedade Anônima; quais foram suas responsabilidades com a Revista Espírita e as obras do mestre; e quem verdadeiramente estava à frente do legado de Allan Kardec nos primeiros meses após o seu desencarne?
São respostas que as fontes primárias estão nos revelando a cada pesquisa efetuada baseada nas novas descobertas de documentos e manuscritos.
Conhecendo a historiografia podemos chegar mais próximo da verdade dos fatos, sem especulações e teorias conspiratórias desnecessárias e acrônicas.

 

Estaria Amélie Boudet (AB), residente na Avenue de Ségur, durante a criação da SA, alheia ao que acontecia na LS na Rue de Lille, a cerca de 2 km de distância?

Repetindo nossa suposição, devidamente fundamentada na última publicação: "AG foi impressa entre FEV e MAR e publicada entre ABR e MAI. Provavelmente a impressão p/ as provas (revisão de AK) deve ter ocorrido antes de FEV.". Lembrando q a tipografia foi a Rouge, a editora foi a LS (Livraria Espírita de AK/AB) e as livrarias foram ainda a LI (Livraria Internacional de Lacroix) e a LA (Livraria Acadêmica de Didier).

Supondo q msm dps de impressa, alguém teria ido à tipografia após a morte de AK dizer p/ trocar alguns cadernos do livro, vejam os problemas q teriam q ser solucionados por quem imagina esta hipótese:

1. A tipografia (msm sujeita a perder o brevet de funcionamento, no caso de alguma denúncia) aceitar (em troco de q?) fazer as substituições (ainda + sob a censura da lei de imprensa).
2. A troca (a q preço?) de um caderno não é tão simples como substituir algumas pgs. Cd 36 pgs, impressas de uma única vez numa folha de impressão tamanho Jésus no formato in-18, corresponde geralmente a 2 cadernos, 1 de 24 e 1 de 12 pgs. Poderiam haver variações, como observamos no exemplar físico da 5ª ed de 1872, c/ 27 cadernos (11 cadernos de 24 pgs, 10 cadernos de 12 pgs, 2 cadernos de 8 pgs, 1 caderno de 32 pgs, 1 caderno de 20 pgs, 1 caderno de 16 pgs e 1 caderno de 4 pgs).
3. AB estaria participado ativamente da criação da SA entre ABR e JUN, enquanto a nova edição de AG estaria sendo publicada.
4. Dps disso AB esteve presente na Rue de Lille em pelo menos 2 ocasiões, ambas posteriores à 1ª impressão da 5ª ed de AG, conforme já demonstramos, o q, p/ nós, mostra q ela continuava atuante e não estava alheia a nd. A fundação da SA em 03/07/1869 foi na Avenue de Ségur, e foi devidamente registrada em 22/07/1869 pelo notário Sr. Philéas Vassal. Seu endereço era Boulevard Sébastopol, 58. Já na época havia a necessidade de reconhecimento de firma. Mas as 2 primeiras assembleias gerais aconteceram na Rue de Lille em 29/07/1869 e 13/08/1869, e foram registradas em 20/08/1869 pelo mesmo notário.
5. AB obtém o brevet da LS em 20/08/1869, transferido de AK.

Portanto AB não poderia estar conivente c/ qq alteração em AG de 1869, cujo exemplar foi encontrado na Suíça pelo CSI. E ainda, sua impressão e publicação ocorreu antes da fundação da SA, o q tb requeria sua participação ativa. P/ quem ainda tem dúvidas, vejam alguns extratos da RE de MAI de 1869 sobre a decisão de AB em relação ao Fundo Geral do Espiritismo (destaques em maiúsculas são nossos):

"...a Sra. Allan Kardec, ÚNICA PROPRIETÁRIA LEGAL DAS OBRAS E DA REVISTA, deseja, por devotamento à Doutrina:

1º Doar anualmente à Caixa Geral do Espiritismo o excedente dos lucros provenientes da venda dos livros espíritas e das assinaturas da Revista, bem como das operações da Livraria Espírita, mas COM A CONDIÇÃO EXPRESSA DE QUE NINGUÉM, a título de membro da Comissão Central ou outra, TENHA O DIREITO DE IMISCUIR-SE NESTE NEGÓCIO INDUSTRIAL, e que os recebimentos, sejam quais forem, sejam recolhidos sem observação, já que ELA PRETENDE TUDO GERIR PESSOALMENTE, PROGRAMAR AS REIMPRESSÕES DAS OBRAS, AS PUBLICAÇÕES NOVAS, regular a seu critério os emolumentos de seus empregados, o aluguel, as despesas futuras, NUMA PALAVRA, TODOS OS GASTOS GERAIS;

2º A Revista está aberta à publicação dos artigos que a Comissão Central julgar úteis à causa do Espiritismo, mas COM A CONDIÇÃO EXPRESSA DE SEREM PREVIAMENTE SANCIONADOS PELA PROPRIETÁRIA e pelo comitê de redação, sucedendo o mesmo com todas as publicações, sejam quais forem...".

E conclui-se: "...Comunicadas estas decisões à Sociedade de Paris, NA SESSÃO DE 16 DE ABRIL, foi a Sra. Allan Kardec objeto de unânimes felicitações...". Claro, evidentemente, ela tb deveria estar presente na Rue de Lille neste dia.

 

Referências: https://www.siv.archives-nationales.culture.gouv.fr/siv/rechercheconsultation/consultation/ir/pdfIR.action?irId=FRAN_IR_056952 e https://www.retronews.fr/journal/la-revue-spirite/1-mai-1869/1829/3285409/27.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 


Fonte: https://www.facebook.com/groups/lihpe/?multi_permalinks=2136485596476570%2C2133618733429923%2C2126551057470024&notif_id=1592451577023697&notif_t=group_activity&ref=notif


 




topo

 

Acessem os Artigos, teses e publicações: ordem pelo sobrenome dos autores :
- A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O
- P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z - Allan Kardec
* lembrete - obras psicografadas entram pelo nome do autor espiritual