Espiritualidade e Sociedade




Heloísa Pires

>    Herculano por Heloísa

Artigos, teses e publicações

Compartilhar

Heloísa Pires
>    Herculano por Heloísa

--------------------------------------

 

Abaixo reproduzimos entrevista realizada com Heloísa Pires sobre seu pai, José Herculano Pires.

_______________________


A oradora e escritora Heloísa Pires fala sobre a vida e a obra do pai, o saudoso Herculano Pires, uma das maiores expressões da história do Movimento Espírita Brasileiro.

___________________________


Quem foi Herculano Pires?

Foi um espírito especial que veio à Terra, na última encarnação, na data de 25 de setembro de 1914, com a tarefa de auxiliar a divulgação da Doutrina Espírita, do Cristianismo reapresentado por Kardec. Compreendeu a importância do trabalho do Mestre de Lyon, que teve a assessoria da equipe do Espírito Verdade. Foi um grande jornalista, crítico literário e crítico político dos Diários Associados. Representou os colegas como presidente do Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo. Foi um dos fundadores da Faculdade de Filosofia de Araraquara, na qual lecionou como Mestre em Filosofia (USP). Marido amoroso e atencioso de Virgínia, também um espírito especial, braço forte de Herculano. Pai muito amado por quatro filhos e inúmeros da grande família espiritual. Homem corajoso enfrentava as grandes instituições espíritas na defesa do espiritismo em sua pureza, lutando contra enxertos indevidos e mutilações doutrinárias. Vizinho da Assumpção de Luca e amigo da Assumpta, vice e presidente da Casa do Caminho que dão o testemunho do marido atencioso, pai ideal e espírita atuante.

Como ele conheceu o Espiritismo?

Teosofista, não concordou com os cascões astrais de Helena Blavastk e iniciou a procura para as suas dúvidas; encontrou as respostas n’O Livro dos Espíritos e passou a estudar e divulgar a Doutrina Espírita até o final em sua última encarnação.

No total quantos foram os livros publicados por ele?

Oitenta e quatro trabalhos de valor reconhecido, tendo livros premiados, como “Daga Moriga”, que recebeu o prêmio da Prefeitura de São Paulo.

Qual foi a contribuição desses trabalhos à Doutrina Espírita?

A primeira contribuição foi a de mostrar a importância do trabalho de Kardec. Através do seu exemplo de amor ao próximo, coerência na fala e exemplificação e vitórias também na horizontal atraiu um grande número de indivíduos para a Doutrina, alguns elementos valiosos que continuam a trabalhar por uma sociedade melhor, cujos ideais são, como explica Herculano n’O Reino, “Deus, Amor, Justiça”. Contribuiu para a compreensão do fenômeno mediúnico, sobretudo através do seu livro: Mediunidade, Vida e Comunicação. Para a compreensão do respeito à mulher em seus livros “Madalena”e “Adão e Eva”. Mostrou a atualidade e insuperabilidade da Doutrina Espírita principalmente nos livros: “Parapsicologia Hoje e Amanhã”, “Ciência Espírita” e “Curso Dinâmico de Espiritismo, o Grande Desconhecido”. Apresenta Deus com propriedade no seu livro “Concepção Existencial de Deus”, dilatando a compreensão da Misericórdia de Deus n’O Mistério do Ser Ante a Dor e a Morte”. Mas a contribuição maior veio do seu exemplo de retidão moral e amor ao próximo.

O que deixaríamos de ter se Herculano não fosse espírita?

Se Herculano fugisse à sua missão, Deus enviaria outro espírito para a realização da importante tarefa. Mas seria difícil encontrar alguém que reunisse tantas qualidades como humildade, compreensão da brevidade e efemeridade da vida na Terra, cultura, bondade, carisma, compreensão de que não viera para servir Instituições, mas a Jesus.

Em sua opinião, qual a obra de Herculano que todos deveriam conhecer?

Eu diria que todas; mas poderíamos considerar indispensáveis “O Espírito e o Tempo”, pela dilatação cultural que propicia, e que foi escolhido como um dos livros do século XX. Precisam ainda conhecer “Introdução à Filosofia Espírita”, que explica muito bem como conhecemos, como percebemos o mundo onde nos expressamos, a formação do Ego e outros assuntos atuais. “Obsessão, o Passe, a Doutrinação”, é outro livro de auto-ajuda que trata do Sentido da Vida, fazendo-nos compreender a misericórdia de Deus nos colocando na escola linda, a Terra.

Poderia narrar um fato inesquecível na vida do seu pai?

São tantos os fatos ocorridos com essa figura ímpar, José Herculano Pires, mas lembrarei um que me comove até hoje: Herculano salvou um sapo ferido, enrolou-o no jornal e, com cuidado o colocou no nosso jardim; todo o dia cuidava do sapo, pingava colírio nos olhos irritados, tratava dos ferimentos, até que o sapo ficou bom e foi embora. O amor de Herculano pelo estranho animal encantou-nos. A dedicação e gentileza com a esposa, que despertava aos domingos com uma braçada de flores; as poesias amorosas escritas em todos os aniversários de Virgínia; a comemoração simples em todos os aniversários de casamento, quando agradecia a Deus a sua felicidade pela esposa e filhos, evidenciam uma alma forte e sensível. Creio que Herculano, como Kardec, era um druida reencarnado.

Você acredita que, no mundo espiritual Herculano está satisfeito com a literatura atual?

Claro que não; um escritor com tanto talento, um filósofo forjado através dos séculos, um homem culto que sabia o que, e como escrever deve ficar desapontado com a avalanche de livros mal escritos, com terríveis erros doutrinários, nos quais o escritor deseja apenas mostrar o seu ponto de vista. Há que ter caridade com os leitores e respeito à Doutrina Espírita.

Existe algum livro dele que não foi publicado?

Sim; em um deles Herculano explica a evolução do ser (está inacabado) e como o ser ainda não evoluiu de modo completo.

Quais lições apreendidas com seu pai e que você transmite a seus filhos?

Procuramos conscientiza-los de que, como disse Jesus: “Sois deuses, sois luzes; sois o sal da Terra e a luz do mundo”. E ainda “Se tiverdes fé do tamanho de um grão de mostarda, nada vos será impossível”. Herculano lembra no livro “Revisão do Cristianismo”, que “não somos filhos do pecado e da dor, mas filhos de Deus, criaturas divinas”; exemplificou a dignidade que a compreensão dessa idéia provoca, na transformação de um indivíduo frágil, tolo, em um forte, sereno, livre das paixões inferiores e da escravidão à “matéria”.



REVISTA DELFOS – maio/junho de 2001


Fonte:
http://wwwpurezadoutrinaria.blogspot.com.br/2011/04/herculano-por-heloisa.html

 



topo