Luiz Cláudio de Pinho

>   Missões, Tarefas e Deveres Solidários

Artigos, teses e publicações

Compartilhar

Luiz Cláudio de Pinho
>   Missões, Tarefas e Deveres Solidários

 

“Tudo que o Homem faz NÃO é o resultado de uma missão predestinada”.
Espírito Verdade, questão 577 de O Livro dos Espíritos.

 

Há Espíritos encarnados ou desencarnados rotulados erroneamente como “missionários”, ”espíritos de luz”, ”mestres”, etc. quando em verdade desenvolvem ou desenvolveram TAREFAS–DESAFIO de caráter circunscrito e perfil mediano.

Atividades de amplo espectro, atemporais e que abrangem comunidades diferenciadas descrevem, grosso modo, o caráter da verdadeira Missão, sempre distanciada de egolatria, elitismo, corporativismo e sistemas condicionantes. O missionário, tal como a liderança real, escolhe seus discípulos e colaboradores, mas não condiciona a obra a sua personalidade ainda imperfeita e suscetível de maneirismos de gradações variadas.

Atuações familiares e direcionamentos de pequenos e medianas comunidades sociais e religiosas, mais se conjugam ao perfil da TAREFA-DESAFIO, atividade a ser exercida por aquele ou aqueles que lesaram ou se omitiram diante desse atual grupo de liderados ou coordenados.

Mesmo as atuações públicas de larga escala social, podem não ser missões reais. Para essa análise, observemos a personalidade do líder em questão.

Segundo a escala hierárquica tão bem estudada por Allan Kardec em O Livro dos Espíritos podemos, conceituar “Missão” as atividades cientificas, políticas, filosóficas, religiosas, culturais, etc. que avancem além das fronteiras comuns e por sua vez, impulsionem ou dêem reflexos décadas à fora estimulando pessoas variadas, primeiramente, no saber libertador e a posteriori no altruísmo apaziguador.

Assim, por aquilo que pensam, estudam, escrevem, criam, falam, pregam, estimulam e vivenciam é que poderemos diferenciar missionários escalonados, instrumentos imperfeitos da Divindade (conquistadores) e tarefeiros bem intencionados. Esses últimos, em desafios pessoais profundos e de amplitude circunscrita.

O que caracteriza um Espírito de escol é a inteligência sóbria, abrangente e o sentimento apartado de condicionantes pessoais.

Quanto à “missão” paterno-maternal, também averbada pelo Espírito Verdade a Kardec, poderemos concluir que será realmente “Missão”, caso a alma emprestada à condição de filho, seja de alta hierarquia, ou uma alma de baixa condição intelecto-moral que, nesse caso, necessitará de muito trabalho, solidariedade e tolerância.  

Em relações familiares medianas, mais apropriado é o sentido de dever solidário, oriundo de laços trançados.

 



topo

 

 

Acessem os Artigos, teses e publicações: ordem pelo sobrenome dos autores :
- A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O
- P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z - Allan Kardec
* lembrete - obras psicografadas entram pelo nome do autor espiritual