Luiz Cláudio de Pinho

>   A Fisiologia do Bem

Artigos, teses e publicações

Compartilhar

Luiz Cláudio de Pinho
>   A Fisiologia do Bem

Após a sucessivos estudos e pesquisas comparando a neuro-anatomia de alguns animais com a respostas cerebrais humanas durante atos cirúrgicos, ou na presença de lesões tumorais, W.R. Hess, von Holst e von Saint Paul definiram múltiplas regiões cerebrais como reguladoras do comportamento humano, dentre elas a Área Hipocampal como a responsável pela expressão de manifestações periféricas, tais como alterações do batimento cardíaco, choro, alegria, etc. No entanto, a ciência da atualidade ainda não definiu com exatidão irretorquível a sede das emoções. Mas lembremos o venerável Descartes a dizer que “o pensamento é pura emanação da alma”.

 

“Mostra as maravilhas da tua bondade”
Livro dos Salmos, capítulo 17 verso 07.

 

Não há dúvidas que não se pode, ainda, possuir pelos intrigantes, néscios, corruptos e maldosos, mesmos sentimentos que dedicamos àqueles que nos querem bem e dividem conosco o maná da afinidade e da simpatia. Todavia, evitar os pensamentos de ódio, negativismo, rancor e inveja, hoje bem estudados como elementos propiciadores de baixa imunológica e, por conseguinte, facilitadores de infecções, já é um bom começo.

Cientificamente, podemos afiançar que alguns tipos de dermatites (doenças de pele) , reações histamínicas aumentadas (alergias), certos cânceres como o do colo uterino, que se relaciona intimamente com o PAPOVA VIRUS ou vírus do Herpes, deflagram ou pioram à medida que o paciente se auto-intoxique com sentimentos de enfado, inveja e irritabilidade excessiva.

Possuindo experiência oncológica, experiência esta não tão rica quanto Dr. H “Patch” Adams, percebemos muitos casos em que a pessoa ao assumir atitudes mais voluntariosas na solidariedade, hábito de sorrir com sinceridade, etc. abandonando a apatia, a omissão, o derrotismo e o rigorismo perante si mesma e perante os outros, adquiriu maior resistência fisiopsíquica.

No oposto, angustiados, reprimidos, os “coitadinhos”, os metódicos ao extremo, e rigoristas facilitam quadros leucêmicos,TOC-transtornos obsessivo compulsivos, parafilias, etc. Ademais, é nesta classe de anestesiados da vontade e da razão que observamos o VAMPIRISMO PSIQUICO, unilateral ou recíproco, processo deletério próprio aos que se locupletam em dissertar sobre o que há de pior na vida e o quanto são “vitimas da sociedade”.

A estes, nem mesmo Jesus, dedicou pronunciada atenção.

 

“Se alguém não vos receber, nem ouvir as vossas palavras... sacudi o pó dos vossos pés” Matheus10: 14.

 

Toda didática contida no Bagavad Gita, na Boa Nova, nas Suratas, no Talmude, na Zenda Avesta, nos Sutras, etc. são todos estímulos ao auto conhecimento como forma de bem viver. Neles, encontramos o meio de caminhar certo e com os próprios pés, entendendo que é princípio newtoniano, a certeza de que uma ação gera uma reação.

Por conta disto, não temos obrigações com o próximo, mas compromissos mútuos. E na atualidade, é com este Jesus quântico, que fazer o bem é, acima de tudo, um ato de inteligência e sanidade.


CONCLUSÃO - não será somente à custa de “chá de chuchu”, palavrinhas mornas, anti-oxidantes, cristaloterapias, louvores, solicitações ao além, freqüência continua em academias e salões de beleza, e práticas compulsivas de consumismo, que a pessoa adquirirá bem estar continuo. Será modificando seus interesses imediatistas, equilibrando sua alimentação, evitando vícios variados, praticando positivismo bondade que as saúdes física e mental se manifestarão mais acentuadamente.

Se existem aqueles que praticam maldades, corrupções e desmandos aparentando saúde física, a saúde mental já se encontra em desajuste, sendo questão de tempo até recolherem as devidas punições pelo mal perpetrado.

Assim, de acordo com os princípios da Física Quântica, estudada por Planck, uma borboleta que bate as asas na China, de alguma forma influi no Ocidente, tudo por estarmos inseridos no FLUIDO IMANENTE, este PRANA que envolve os seres e as coisas, não se podendo agredir, sem se agredir, harmonizar sem se auto harmonizar, conhecer sem se auto conhecer, amar ao próximo sem respeitar a si mesmo.

É mister então, ciência de si mesmo como objeto e sujeito da vida. É necessário desenvolver inteligência apurada, para sair das crendices e aceitações entendendo ,enfim, os motivos que levaram Jesus a afirmar peremptório: “vós sois deuses”.

 




topo