Espiritualidade e Sociedade



Raquel Gehrke Panzini & Neusa Sicca da Rocha & Denise Ruschel Bandeira & Marcelo Pio de Almeida Fleck


>   Qualidade de vida e espiritualidade

Artigos, teses e publicações

Compartilhar

Raquel Gehrke Panzini & Neusa Sicca da Rocha & Denise Ruschel Bandeira & Marcelo Pio de Almeida Fleck
>   Qualidade de vida e espiritualidade

 


Qualidade de vida e espiritualidade

Raquel Gehrke Panzini - Psicóloga, doutoranda em Psiquiatria pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e mestra em Psicologia pela UFRGS.
Neusa Sicca da Rocha - Psiquiatra, mestra e doutoranda em Psiquiatria pela UFRGS.
Denise Ruschel Bandeira - Psicóloga, doutora em Psicologia pela UFRGS e coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Psicologia na UFRGS.
Marcelo Pio de Almeida Fleck - Psiquiatra, doutor em Medicina pela UFRGS e coordenador do Grupo WHOQOL no Brasil.

 


Resumo

Contexto: A espiritualidade tem sido apontada como uma importante dimensão da qualidade de vida.

Objetivo: Apresentar revisão de literatura sobre qualidade de vida e espiritualidade, sua associação e instrumentos de avaliação.

Método: Busca do tema-título nas bases de dados PsycINFO e PubMed/Medline entre 1979 e 2005.

Resultados: A qualidade de vida é um conceito recente, que engloba e transcende o conceito de saúde, sendo composto de vários domínios ou dimensões: física, psicológica, ambiental, entre outras. Considerada a medida que faltava na área da saúde, tem sido definida como a percepção do indivíduo de sua posição na vida no contexto da cultura e sistema de valores nos quais vive e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações. Há indícios consistentes de associação entre qualidade de vida e espiritualidade/religiosidade, por meio de estudos com razoável rigor metodológico, utilizando diversas variáveis para avaliar espiritualidade (por exemplo: afiliação religiosa, oração e coping religioso/espiritual). Também existem vários instrumentos de qualidade de vida válidos e fidedignos que avaliam a dimensão espiritual/religiosa.

Conclusões: Novos estudos são necessários, entretanto, especialmente no Brasil. Tais estudos proverão dados empíricos a serem utilizados no planejamento de intervenções em saúde espiritualmente embasados, visando a uma melhor qualidade de vida.

Panzini, R.G. et al. / Rev. Psiq. Clín. 34, supl 1; 105-115, 2007

 

>  clique aqui para acessar o artigo completo em pdf

 

Fonte: http://www.hcnet.usp.br/ipq/revista

 

Leia também:

Raquel Gehrke Panzini & Denise Ruschel Bandeira
>   Coping (enfrentamento) religioso/espiritual

 


topo