Espiritualidade e Sociedade





Antônio Carlos Navarro

>    Surpresa

Artigos, teses e publicações

Compartilhar

Antônio Carlos Navarro
>   Surpresa

 

Um dia desses, após terminarmos uma palestra, fomos surpreendidos pelo dirigente dos trabalhos do Centro Espírita com uma informação de cunho mediúnico.

Disse-nos o caro confrade que, enquanto palestrávamos, um espírito se apresentou a ele como antigo companheiro profissional nosso, pedindo para nos transmitir um abraço e que nos dissesse que tínhamos razão, referindo-se às conversas que mantínhamos ao tempo de encarnado em convívio conosco.

Também teve sua aparência descrita pelo médium, o que nos possibilitou a identificação do antigo companheiro de profissão que sempre admiramos, tanto pela capacidade profissional quanto pela forma que tratava os companheiros e subordinados.

A partir daí os pensamentos se aceleraram em várias direções.

Em primeiro foi surpresa pelo fato em si, pela espontaneidade, uma vez que não se tratava de sessão mediúnica, e em momento algum algo relacionado foi objeto de conversação, o que isenta o médium de qualquer ideia preconcebida, dando autenticidade ao fenômeno.

Passada a surpresa, inundou-nos uma alegria toda especial pela confirmação da continuidade dos laços afetivos que unem os seres humanos, independente da condição de encarnados ou desencarnados, o que nos proporciona tranquilidade diante das separações provocadas pela ausência física daqueles que amamos.

Decorrente do fato é a comprovação de que a vida continua para o espírito, portanto este é imortal, que mantém sua individualidade e consciência diante da vida e, consequentemente, de seu passado, que é revisado para aprendizado e novas deliberações para o futuro.

Depois, passamos a meditar na importância do que falamos e exemplificamos, por mais descontraída seja a conversa e a conduta, a ponto de sermos lembrados além da existência física por nossos interlocutores que, com certeza, após a morte física ficamos sujeitos a experiências relativas ao vivenciado na vida material.

Ainda meditando a respeito, outra dedução se faz presente, que é a evidência de que estava acompanhando dos dirigentes espirituais do Centro, portanto em boas mãos, e autorizado a se manifestar, em função da seriedade, objetividade e equilíbrio da reunião da noite. E isso também nos tranquiliza quanto ao futuro, pela certeza de que quem age sempre para o bem também recebe o bem.

Nessas oportunidades, expressa-se a bondade divina que nos presenteando com essas bênçãos para que nos reconfortemos e nos incentivemos na vida diária, sentindo-nos envolvidos pelos laços mais sublimes do espírito.

Pensemos nisso.

 

Fonte:
http://www.agendaespiritabrasil.com.br/2014/09/30/surpresa/


Leia de Antônio Carlos Navarro:
->  Cegos do Espírito
->  O Pé de Melindre
->  Surpresa
->  Vazio interior

 


topo

 

Acessem os Artigos, teses e publicações: ordem pelo sobrenome dos autores :
- A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O
- P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z - Allan Kardec
* lembrete - obras psicografadas entram pelo nome do autor espiritual