Espiritualidade e Sociedade



Gerson Simões Monteiro

>   Espírito mau induziu jovem ao crime

Artigos, teses e publicações

Gerson Simões Monteiro
>   Espírito mau induziu jovem ao crime

 

ESPÍRITO MAU INDUZIU JOVEM AO CRIME


É possível um espírito desencarnado induzir uma criatura humana a cometer um assassinato? A resposta é afirmativa, caro leitor que solicitou esclarecimento a respeito de tão oportuno assunto.

Para você entender me­lhor a questão, apresenta­remos um fato verídico publicado por Allan Kardec, em 1859, na Revista Espíri­ta, cujo fato foi narrado em carta por Simon M.... Segundo Allan Kardec, tratava-se de pessoa que gozava de grande projeção social naquela época e por­tador de uma elevada mo­ral.

Na referida carta, Simon M... conta a Kardec que havia funcionado como jurado no julgamento de um rapaz, acusado de ter assassinado uma senhora idosa em circunstâncias. horríveis, mas, ao ouvir a declaração do jovem criminoso em seu depoimento, de que não tinha nenhum motivo para matá-la, ele evocou o espírito da senhora desencarnada durante uma sessão espírita, a fim de consultá-la a respeito do grau de culpabilidade dó réu.

Veja agora, a seguir, as respostas altamente elucidativas dadas pelo espírito da senhora assassinada a Simon, e observe como elas respondem à sua indaga­ção. Ei-las:

- Que pensa do seu assassino?

- Não serei eu quem o acuse.

- Porquê?

- Porque ele foi impulsionado ao crime por um homem que me fez corte há cinquenta anos e que, nada tendo conseguido de mim, jurou vingar-se. Conservou na morte o seu desejo de vingança. E aproveitou as disposições do acusado para lhe inspirar o desejo de me matar. (...)

Compreendo sua reserva diante da sugestão que o seu assassino não repeliu como devia e podia. Mas a senhora não pensa que a inspiração criminosa, à qual ele obedeceu de tão boa vontade, não teria sobre ele mesmo o poder, se ele não tivesse nutrido ou entretido durante muito tempo sentimentos de inveja, de ódio e de vingança contra a senhora e a família?

Seguramente, respondeu o espírito da senhora assassinada. Sem isto ele teria sido mais capaz de resistir. Eis por que digo que aquele que quis se vingar aproveitou as disposições desse moço. O senhor compreende bem que o meu inimigo espiritual não se teria dirigido a alguém que tivesse tido vontade de resisitir.

Segundo o próprio Simon na carta-relato a Allan Kardec, as circunstâncias atenuantes foram admitidas pelo júri, baseadas nos motivos acima indicados, com o que foi afastada a pena de morte.

Disso tudo você pode concluir que o homem deve vigiar os seus menores pensamentos malévolos, até os seus maus sentimentos, pois estes têm a propriedade de atrair espíritos obsessores. É uma porta que lhe abre ao mal, sem lhe compreender o perigo, e foi exatamente, por isso, que Jesus recomendou - "vigiai e orai para não cairdes em tentação".

 

 


topo