Espiritualidade e Sociedade





Paulo Roberto Martins

>    Ectoplasma - Uma controvérsia e alguma coerência

Artigos, teses e publicações

Compartilhar

Paulo Roberto Martins
>   Ectoplasma - Uma controvérsia e alguma coerência

 

Em resposta à uma leitora de Minas Gerais, o Jornal Espírita de Pernambuco, publicou no ano de 1999, texto com o seguinte título: "O que é ectoplasma"; que transcrevemos a seguir alguns trechos:

"Ectoplasma é a substância sutil na fronteira entre o físico e o não físico que, de acordo com os pesquisadores do espiritualismo, emana do corpo de certos médiuns. Esse material, quase físico, é transformado em uma substância que é percebida durante o chamado fenômeno da materialização, quando membros, rostos e até o corpo inteiro de espíritos aparecem nas sessões. O termo foi introduzido em 1894 pelo fisiologista e investigador psíquico francês Charles Richet. Deriva do grego EKTOS + plasma, geralmente traduzido como substância exteriorizada... (sic!). O ectoplasma pode ser frio ou quente, é possível pesá-lo e muitas vezes se parece com borracha ou massa de pão ao toque. Freqüentemente é branco. Sua estrutura varia consideravelmente, desde uma nuvem ou névoa até bastões rígidos ou membrana reticulada... (sic!)".


Na Enciclopédia Delta Larousse, observamos como segunda denominação para a palavra ectoplasma o seguinte: "Palavra criada por Richet para designar substância misteriosa (grifo nosso) que se desprenderia do corpo de certos médiuns, durante o transe, e com o qual se obtém as materializações e outros fenômenos de ordem física (fantasmas)".

A controvérsia se apresenta para nós na própria enciclopédia pois, como primeira denominação para a palavra ectoplasma vem a descrição científica usada algum tempo antes da introdução de Richet pela Química e Biologia; e que, no final das contas, nada mais é do que a mesma substância nas duas definições (espiritualista e científica), não tendo portanto nada de misteriosa.

Em 1914, o alemão Hinrich Ohlhaver escreveu um livro cujo título é "Os mortos vivem", traduzido e publicado pela Casa Editora O Clarim, que em sua página 105 observa-se a seguinte comunicação do espírito J. Tomfohrde (amigo pessoal de H. Ohlhaver e médium conhecedor da fenomenologia espírita, quando em vida na terra), e que transcrevemos o seguinte trecho sobre materializações:

"A substância (ectoplasma) é obtida da seguinte forma: o sangue evapora e se torna um gás finíssimo, que vai envolver o ser astral pronto para se materializar. Vai-se condensando e, durante este processo, a entidade adquire a forma sólida sob a qual se apresenta. Não tenho dúvidas de que a materialização é um processo físico e, por esse motivo, é natural que se submeta às leis da física ."


O Físico Prof. Carlos de Brito Imbassahy assim descreve o material utilizado:

"Os Espíritos usam uma espécie de energia que, segundo foi informado a W. Crookes por uma aparição através de Douglas Home, é retirada do ectoplasma celular, principalmente, de células vegetais (ver depoimento de Cromwell Varley, assistente de Crookes, à Sociedade Dialética de Londres - 1879). Este ectoplasma - envolvente do protoplasma celular - é estudado pela Bioquímica num capítulo intitulado "Citologia". Ectoplasma é um plasma contido em todas as células orgânicas, envolvendo o protoplasma. Todos os animais e vegetais possuem, sem exceção. O que o médium faz é polarizar energias a partir deste provável combustível. O ectoplasma seria o carvão da energia obtida na sua combustão. Não é o ectoplasma que vem a ser usado mas a energia dele obtida".


Em aulas com o biólogo Prof. Doutor Djalma Santos absorvemos as seguintes informações:

"No adulto a maioria das células do sangue é produzida pela medula óssea (miolo gelatinoso que preenche o interior dos ossos longos), tendo no citoplasma o centro metabólico da célula, dividindo-se em inclusões, organóides e hialoplasma. O hialoplasma (meio interno da célula) é uma solução coloidal (semelhança da cola) formada principalmente por proteínas e outras substâncias, que se encontram dissolvidas em água, cuja maior região (mais distante do núcleo) é o ectoplasma ou plasmogel (assim chamada pelo seu aspecto gelatinoso)".

Nossas conclusões tendem no sentido da observação de uma maior coerência entre os conceitos de uma única substância da natureza, o ectoplasma.

 

Paulo Roberto Martins - Engº Civil – Administrador - Psicólogo - prmponcy@gmail.com

 


topo

 

 

Acessem os Artigos, teses e publicações: ordem pelo sobrenome dos autores :
- A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O
- P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z - Allan Kardec
* lembrete - obras psicografadas entram pelo nome do autor espiritual