Espiritualidade e Sociedade





Mirian Goldenberg

>      Você já se sentiu vampirizado?


Artigos, teses e publicações

Compartilhar

Mirian Goldenberg
>   Você já se sentiu vampirizado?

 

Mirian Goldenberg é antropóloga e professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro. É autora de 'Coroas: corpo, envelhecimento, casamento e infidelidade' (Ed. Record). Escreve às terças, a cada 15 dias, no jornal Folha de São Paulo


Alguns homens e mulheres que entrevistei falaram de uma categoria de pessoas que sugam a energia, o tempo e a atenção dos outros, sem dar nada em troca. É um tipo de relação material e emocional sem reciprocidade. Na verdade, elas criam uma reciprocidade negativa, na qual um dos lados sente que dá muito mais do que recebe do outro.

Uma jornalista de 37 anos chamou de vampiros aqueles que só se interessam por si mesmos.

"Tenho uma prima que é tão mesquinha que só de sentar perto dela já me sinto péssima. Eu me sinto vampirizada pelo seu olhar invejoso. Nunca ouvi uma só palavra positiva dela. Sempre reclamando, se queixando, falando mal dos outros. Ela é tão desagradável que contagia todo o ambiente com sua energia negativa."

Ela disse que a prima não percebe que vampiriza os outros.

"Ela só me procura quando está precisando de alguma coisa. Ela se acha o máximo. Diz sem a menor vergonha na cara que gosta mais do cachorro do que das pessoas. O cachorro está sempre disponível, não exige nada e, lógico, é o grande amor da vida dela."

Um professor de 45 anos afirmou que os vampiros são egoístas, invejosos e destrutivos.

"Muita gente vive de sugar e de parasitar a vida dos outros. Tenho um colega de trabalho que é tão egocêntrico que só fala dele o tempo todo, das suas conquistas, de seus dramas. Ele não se cansa de repetir as mesmas histórias autoelogiosas. Fico chocado de ver que ele não tem o menor interesse por mim ou por qualquer outra pessoa."

Os vampiros não têm paciência para escutar os outros, como disse uma advogada de 42 anos:

"Um ex-namorado voltou à minha vida pelo Facebook. Ficávamos horas conversando. Sempre o ouvi com atenção e tentei discutir carinhosamente as suas inúmeras questões existenciais. Ele nunca perguntava nada sobre mim. Era só ele, ele e ele. Comecei a me sentir usada, como se ele roubasse a minha energia. Cansei e o deletei do meu Face e da minha vida."

Parece que está crescendo o número de pessoas que não têm a menor empatia, curiosidade e interesse pelos outros. Não é por acaso que os que são obrigados a conviver com eles se sentem completamente sugados, exaustos e sem energia.

Você já foi vampirizado? Já conseguiu deletar os vampiros da sua vida?

 

Fonte:
http://www1.folha.uol.com.br/colunas/miriangoldenberg/2014/11/1542737-voce-ja-se-sentiu-vampirizado.shtml



topo

 

Acessem os Artigos, teses e publicações: ordem pelo sobrenome dos autores :
- A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O
- P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z - Allan Kardec
* lembrete - obras psicografadas entram pelo nome do autor espiritual