Espiritualidade e Sociedade



Camille Flammarion

>   A Morte e o seu Mistério

Artigos, teses e publicações

Camille Flammarion
>   A Morte e o seu Mistério



obra em 3 volumes

Traduzido do Francês
La Mort et son mystère
1917


Conteúdo resumido

Editada em três volumes, A Morte e o seu Mistério é um extenso e precioso repositório de narrações sobre fenômenos extrafísicos, expostos e comentados por Camille Flammarion com o rigor da metodologia científica.

Conforme as próprias palavras do autor, a obra visa demonstrar por fatos de observação, fora de toda crença religiosa e em completa e imparcial liberdade de julgamento, a existência da alma, a sua independência do organismo corpóreo e a sua sobrevivência à desagregação deste último.


Em síntese, são abordados neste trabalho os seguintes temas:

  • o 1º volume, “Antes da Morte”, prova que a alma existe e independe do corpo carnal;
  • o 2º volume, “Durante a Morte”, demonstra a veracidade do aparecimento de fantasmas dos vivos, as aparições e manifestações de moribundos e os fenômenos de premonição;
  • o 3º volume, “Depois da Morte”, oferece-nos a certeza da sobrevivência da alma após a morte, sua existência num outro plano e a possibilidade de se comunicar com os Espíritos encarnados.


Estas duas obras: “A Morte e o seu Mistério”, juntamente com “O Desconhecido e os Problemas Psíquicos”, escrita anteriormente pelo mesmo autor, formam a maior coleção de casos de fenômenos psíquicos já reunidos em obra literária, nos últimos séculos. Daí a sua grande importância como documentos históricos para as ciências psíquicas e, em decorrência, para as pesquisas sobre os fenômenos mediúnicos.


Os três volumes podem ser baixados em .doc (word).

-> cliquem nos títulos para baixar os volumes abaixo:



Volume 1:

“A imortalidade da alma é uma coisa de tal importância, interessa-nos tão profundamente, que é preciso ter perdido toda a sensibilidade para manter-se indiferente ao seu conhecimento.

O nosso primeiro interesse e o nosso primeiro dever são os de nos esclarecermos sobre este assunto, de que depende toda a nossa conduta: e é por isso que eu faço uma distinção extrema entre os que trabalham com todas as suas forças para nele se instruírem e os que vivem sem dele cuidarem e sem nele pensarem.

Esta negligência numa questão em que se trata deles mesmos, de sua eternidade, do seu todo, irrita-me mais do que me comove, surpreende-me e espanta-me, é monstruosa para mim. Não falo assim pelo zelo piedoso duma devoção espiritual. Pelo contrário, entendo que se deve ter esse sentimento por um princípio de interesse humano.”
Pascal -
1º volume, “Antes da Morte”,




Volume 2:

“Ninguém sabe o que é a morte nem se ela será o maior dos benefícios para o homem. Apesar disso, tememo-la como se fora o pior de todos os males.

Atenienses, acabais de me condenar à morte. A voz divina, que nunca deixou de fazer-se ouvir por mim durante todo o curso da minha vida, manteve-se hoje silenciosa, e eu não me defendi das vossas acusações. É porque o que me sucede é um bem.

Vou sofrer a sorte a que vós me condenastes; mas a iniqüidade e a infâmia ficarão para sempre amarradas à memória dos meus juízes. Submeto-me à minha condenação e eles à sua. É deste modo que as coisas devem passar-se e, no meu entender, tudo acontece para melhor.

Quando a morte se aproxima do homem, o que nele existe de mortal desagrega-se; o que nele há de imortal e de incorruptível retira-se intacto.”
Sócrates
- 2º volume, “Durante a Morte”



Volume 3:

“A morte é nosso destino comum. As riquezas materiais adquirem-se e perdem-se. Que a tua vida se inspire na mais pura justiça! Sê irrepreensível para o próximo como para contigo. Aproveita todas as oportunidades para te instruíres. Viverás, assim, vida sumamente agradável.

Medita estes pensamentos. Quando deles estiveres compenetrado, poderás conceber a constituição de Deus, dos homens e das coisas e ajuizar da realidade da unidade de toda a natureza; Conhecerás então essa lei universal: em toda parte do mundo a matéria e o espírito, em princípio, são idênticos.

Prossegue na obra da libertação da tua alma, fazendo escolha judiciosa e ponderada de todas as coisas, de modo a assegurar a vitória do que em ti existe de melhor: o Espírito. Assim, quando abandonares teu corpo material, elevar-te-ás no éter, e, deixando de seres mortal, revestirás tu mesmo a forma de um deus imortal.”
Pitágoras - 3º volume, “Depois da Morte”

 

- sobre Camille Flamarion veja também:

Jáder Sampaio
- > Flammarion : um astrônomo diante do mundo dos Espíritos

Paulo Toledo Machado
- > Camille Flammarion - biografia

______________________

 


de Camille Flammarion leia também:
-> As Casas Mal Assombradas
-> Como acabará o mundo
-> O Desconhecido e os Problemas Psíquicos
-> Deus na natureza
-> Estela
-> O Fim do Mundo
-> A Morte e o seu Mistério
-> Narrações do Infinito
-> Urânia

 


topo