Espiritualidade e Sociedade



Ana Catarina de Araújo Elias

>     Relaxamento Mental, Imagens Mentais e Espiritualidade na re-significação da dor simbólica da morte de pacientes terminais

Artigos, teses e publicações

Compartilhar

Ana Catarina de Araújo Elias
>  Relaxamento Mental, Imagens Mentais e Espiritualidade na re-significação da dor simbólica da morte de pacientes terminais


Dissertação ( Mestrado) Universidade Estadual de Campinas.
Faculdade de Ciências Médicas.


- tese disponível em pdf -
clique aqui para acessar -


RESUMO

Esta pesquisa, com base na visão biopsicossocial e espiritual do ser humano, estudou qualitativamente a eficácia de intervenção psicoterapêutica, construída através da integração das técnicas de Relaxamento Mental e Visualização de Imagens Mentais com o conceito de Espiritualidade, re - significar a Dor Simbólica da Morte (Dor Psíquica e Dor Espiritual) de pacientes terminais.

Participaram do estudo cinco pacientes, mulheres com câncer, fora de possibilidade de cura.

O método desenvolvido foi Estudo de Caso Clínico Longitudinal, utilizando-se para coleta de dados a Entrevista Semi – Estruturada. Observamos, frente aos resultados, que a Dor Psíquica e a Dor Espiritual no período inicial e intermediário da fase Fora de Possibilidade de Cura apresentam-se equiparadas e no período final e óbito, a Dor Espiritual é prevalente em relação à Dor Psíquica.

A re-significação apenas da Dor Espiritual, frente à iminência da morte, é aspecto suficiente para que o paciente possa ter uma boa Qualidade de Morte.

Concluímos que a intervenção psicoterapêutica construída através da integração das técnicas de Relaxamento Mental e Visualização de Imagens Mentais com o conceito de Espiritualidade é eficaz para re - significar a Dor Simbólica da Morte, proporcionando Qualidade de Vida no processo de morrer e morte serena.

A estrutura teórica para aplicação dessa intervenção psicoterapêutica foi delineada, para que outros profissionais da área da saúde possam utilizá – la com seus pacientes.

- tese disponível em pdf - clique aqui para acessar -

 

 


topo