Espiritualidade e Sociedade




Kely Magalhães Decotelli, Luiz Carlos Teixeira Bohrer & Pedro Paulo Gastalho de Bicalho

>    A Droga da Obediência: Medicalização, Infância e Biopoder

Artigos, teses e publicações

Compartilhar

Kely Magalhães Decotelli, Luiz Carlos Teixeira Bohrer & Pedro Paulo Gastalho de Bicalho
>    A Droga da Obediência: Medicalização, Infância e Biopoder


em: PSICOLOGIA: CIÊNCIA E PROFISSÃO, 2013, 33 (2), 446 - 459

Universidade
Federal do Rio de Janeiro

->   texto completo em pdf - clique aqui para acessar -


Resumo:

A questão do não aprendizado na escola vem sendo alvo de inúmeras pesquisas em diversas áreas do conhecimento, e, sobremaneira, na Psicologia. Parte das discussões gira em torno de indicar as origens ou as causas, em que se destaca o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, um problema orgânico, da alçada médica, cuja solução seria a Ritalina. Assim, rapidamente como se constitui o problema, se diagnostica e se resolve.

Este artigo propõe uma reflexão acerca do não aprender, analisando de que forma isso é tomado como um problema, sendo a infância, ela mesma, forjada e apreendida sob o escopo da Medicina.

Como disparador dessa questão, recorremos a uma abordagem crítica do uso abusivo da Ritalina e ao conceito de biopolítica, que situa a gênese do saber médico no controle das formas de vida, constituindo um saber sobre os modos de viver, de ser criança. Muitas vezes, a Psicologia, como disciplina e campo de saber, incide nessa seara corroborando os processos de medicalização da vida. Propomos uma outra prática, imersa na problemática gênese biopolítica: uma clínica-política, na qual a Psicologia possa reapropriar-se das constituintes cognitivas e coletivas que compõem essa temática.

->   texto completo em pdf - clique aqui para acessar -



topo