José Reis Chaves

>     Em Teologia não sejamos um moleque, saibamos, pois, o que é Filioque

Artigos, teses e publicações

Compartilhar

José Reis Chaves
>    Em Teologia não sejamos um moleque, saibamos, pois, o que é Filioque


Os teólogos nunca falam em alguns dogmas em publico, por serem polêmicos. E para eles, o zé povinho não precisa conhecer certas doutrinas, que são só para eles, intelectuais e teólogos!

Tudo começou com o polêmico Concílio Ecumênico de Niceia (hoje Isnique, na Turquia). Polêmico, porque os bispos participantes dele foram pressionados pelo imperador Constantino, com ameaças de exílio, torturas e morte, para quem não votasse na divinização de Jesus. Os ânimos estavam muito exaltados. Alguns bispos foram acompanhados de seus seguranças armados. E segundo Helena Blavatsky (“Doutrina Secreta”), um bispo matou outro a chutes. Como se vê, os bispos estavam inspirados, porém, não por um espírito ou espíritos de Deus, mas por espíritos impuros, atrasados.

Com a vitória de Constantino, ou seja, a divinização de Jesus, foi também dado o primeiro passo para a criação da Santíssima Trindade, que recebeu impulsos nos Concílios de Constantinopla (381), de Éfeso (431), de Calcedônia (451) etc. Mas para os apóstolos e as primeiras gerações de cristãos, Jesus era um homem, o Messias, e não outro Deus. E eles não conheciam também a Santíssima Trindade, que não é doutrina da Bíblia, mas que foi acrescentada a ela, posteriormente.

E foi quase um milênio depois do Concílio de Niceia, que o Concílio Ecumênico de Lião (1274), na França, criou mais outro dogma, o Filioque (expressão latina: “e do Filho”), que dá mais poder a Jesus, para enfraquecer os teólogos contrários à sua divinização. E como se sabe, na época, quem fosse contra um dogma, morria na fogueira da Inquisição.

Os teólogos do Filioque defenderam a ideia de que o Espírito Santo procede de Deus, o Pai, e do Filho. Com isso, tentaram mostrar que Jesus é outro Deus Todo-Poderoso como o é o Deus Pai, introduzindo no Cristianismo o politeísmo. E a Bíblia é contra a divinização de Jesus: “Por que me chamas bom? Ninguém é bom senão um só que é Deus.” (São Marcos 10: 18). “Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, age por meio de todos e está em todos.” (Efésios 4: 5 e 6). “Porquanto, há um só Deus verdadeiro, e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem.” (1 Timóteo 2: 5). E “O Pai é maior do que eu.” (João 14: 28).

Jesus é Deus, mas relativo, como todos nós o somos também. (João 10: 34 e 35; e Salmo 82: 6), porém, Deus absoluto, incriado, é só o Pai. Aqueles que acham que Jesus é outro Deus, igual ao Deus Pai, se baseiam na afirmação de que Ele e o Pai são um. Mas Deus e Jesus são um em sintonia. E Jesus até nos convida para sermos também um com Ele e o Pai. (São João 17: 21).

Muitos católicos, protestantes e evangélicos, em silêncio, não aceitam que Jesus é outro Deus e, portanto, não aceitam também o dogma do Filioque.

E uma prova de que a divinização de Jesus é mesmo polêmica é que, oficialmente, a respeitada Igreja Ortodoxa Oriental (com cerca de 300.000.000 de adeptos), o Espiritismo e as demais religiões não aceitam que Jesus é outro Deus, a não ser relativo, e, consequentemente, não aceitam também o dogma do Filioque!


Na Rede Mundo Maior, por parabólica ou www.tvmundomaior.com.br,“Presença Espírita na Bíblia”, com Celina e este colunista, nas quintas-feiras, às 20h, e nos domingos, às 23h. Para suas perguntas e sugestões: presenca@tvmundomaior.com.br E, na Rede TV, o “Transição”, aos domingos, às 16h15 e à 1h45 das quintas-feiras.



Ficarei grato pela citação nelas de meus livros:

“A Face Oculta das Religiões”, Ed. EBM (SP), “O Espiritismo Segundo a Bíblia”, Editora e Distribuidora de Livros Espíritas Chico Xavier, Santa Luzia (MG), “A Reencarnação na Bíblia e na Ciência” Ed. EBM (SP) e “A Bíblia e o Espiritismo”, Ed. Espaço Literarium, Belo Horizonte (MG) – www.literarium.com.br - e meu e-mail: jreischaves@gmail.com Os livros de José Reis Chaves podem ser adquiridos também pelo e-mail: contato@editorachicoxavier.com.br e o telefone: 0800-283-7147.




topo

 

 

Leiam outros textos de José Reis Chaves:

>   O Criacionismo e o Evolucionismo são duas verdades possíveis

>   Demos as mãos à verdade, acatando na Bíblia a Mediunidade
>   Deus e o livre-arbítrio
>   A Diversidade religiosa  
>   A doutrina evangélica das obras e a paulina de sacrifícios e da graça
>   Em grego e português, palingenesia é sinônima de reencarnação
>   Em Teologia não sejamos um moleque, saibamos, pois, o que é Filioque
>   É o Espírito Santo dogmático que causa polêmica, não o bíblico
>   A fraca e estéril Fé da Educação e a forte e fértil Fé da Instrução
>   Homens inspirados por espíritos tidos como Deus escreveram a Bíblia
>   Honremos a Bíblia Mosaica, mas sigamos a Cristã em nada judaica
>   A Mulher não é Ovípara
>   Nós nos movemos no tempo, mas é ele que se move em Deus
>   Para os Cristãos, ele é um Encanto, mas o que é mesmo o Espírito Santo?
>   As penas bíblicas são eternas e jamais poderiam ser sempiternas
>   Qual cristianismo é o verdadeiro, o dogmático ou o evangélico?
>   A reencarnação segundo a Bíblia e a ciência
>   Ressurreição e reencarnação, duas palavras que são uma
>   Teologia nunca foi matemática, os Teólogos criaram essa problemática
>   A universalidade da reencarnação

 

 


topo



Acessem os Artigos, teses e publicações: ordem pelo sobrenome dos autores :
- A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O
- P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z - Allan Kardec
* lembrete - obras psicografadas entram pelo nome do autor espiritual