Espiritualidade e Sociedade



Antonio Cesar Perri de Carvalho

>     Histórico da Instituição Nosso Lar - Desdobramentos iniciais

Artigos, teses e publicações

Compartilhar

Antonio Cesar Perri de Carvalho
>    Histórico da Instituição Nosso Lar - Desdobramentos iniciais

 

(*) – Foi um dos dirigentes da Instituição Nosso Lar, presidente da USE-SP e da FEB.

 

Em continuidade ao artigo inicial sobre Instituição Nosso Lar, de Araçatuba, , onde resumimos a história de seus primeiros tempos, agora destacamos o desenvolvimento e desdobramentos da mesma.

Aos 7/9/1962 foi inaugurada uma extensão de Nosso Lar, que recebeu o nome de Casa Transitória, situada à rua José Domingues de Almeida no. 410, sendo um local também destinado a albergar transitoriamente famílias. Neste local era realizada uma reunião pública de explanações, como na Instituição Nosso Lar, às 3as. feiras à noite.

Com a desencarnação de Emília Santos, ocorrida aos 26/9/1964, as Aulas de Moral Cristãs foram assumidas por Antonio Cesar Perri de Carvalho que já colaborava com ela. Em 15/11/1964, este fundou a Mocidade Espírita Irma Ragazzi Martins, sendo seu primeiro presidente, congregando dezenas de jovens ligados às famílias dos colaboradores e de frequentadores do bairro, integrando-os nas atividades da Instituição, inclusive de visita em apoio a lares do bairro. Os jovens passaram a realizar mensalmente na cidade a “Campanha do Quilo”, para angariação de alimentos para a Instituição. Veio a ser a primeira mocidade como departamento de uma instituição, pois até então elas eram autônomas. Do início desta Mocidade emergiram vários futuros dirigentes e colaboradores de Nosso Lar e de outras instituições e também expositores como, na turma de fundadores: Ismael Gobi, Neusa Gobi, Sônia Gobi, Barcelo Ângelo Cintra, Olga Ângelo Cintra, Eloína Ângelo Cintra, Fernandina Pedroso, Antonieta Maria Cristina Perri de Carvalho Barcelos, e, em seguida, Paulo Sérgio Perri de Carvalho, Osvaldo Rodrigues da Fonseca Filho e Hélio Poço Ferreira. A Instituição Nosso Lar foi sede de vários eventos de jovens, reunindo as Mocidades Espíritas da cidade.

No dia 1º de janeiro de 1966, em reunião festiva proferida pelo confrade José Rubens Braga da Silva, e com convidados da cidade, foi inaugurada a Casa da Sopa Emília Santos, sita à rua São Vicente no. 336. Esta instituição passou a oferecer sopa diariamente a pessoas sem lar, moradores de rua e hospedados no Albergue Noturno da cidade. Foram dedicados zeladores o casal Auzília e Pedro Gobi.

Como campanha em benefício da construção da Casa da Sopa, foi editado em 1965 um pequeno livro – Gotas espirituais -, uma coletânea de frases espíritas, realizada por José Rubens Braga da Silva, e impresso na Gráfica Araçatubense, de propriedade do casal Edwiges (Bijú) e Honório de Oliveira Camargo, tios dos irmãos Rolandinho e Bebé. Colaboramos com o desenho da capa.

Ainda no final dos anos 1960, a rua “R”, onde se localiza a Instituição Nosso Lar, passou a ser designada Rua Emília Santos.

Com a aposentadoria de Rolandinho, por motivo de saúde, este passou a se dedicar em tempo integral à Instituição. Rolandinho realizava campanhas para doações para a Instituição e contava com apoio de famílias da cidade e amigos dos seus tempos de juventude.

Entre os colaboradores destacamos Abílio Fernandes da Silva, recém vindo Portugal, tornou-se espírita e amigo de Emília Santos, participou da criação do Grupo de Estudos Evangélicos João Luiz dos Santos, simples e discreto, e até sua desencarnação foi um fiel apoiador de Rolandinho.

O ano de 1972 assinalou o aparecimento de duas novas atividades.

Em 15 de novembro de 1972 foi inaugurado o Centro Espírita Luz e Fraternidade, ao lado da Casa da Sopa Emília Santos, o qual veio tornar pública as reuniões do Grupo de Estudos Evangélicos João Luiz dos Santos, que vinham se realizando na residência de Rolando Perri Cefaly e da qual também participávamos. Inicialmente somente havia uma reunião pública às 6as. feiras. Assim, o antigo Grupo de Estudos originou no Centro nascente.

Uma semana depois, no dia 2 de dezembro de 1972, foi inaugurada a Creche e Lar João Luiz dos Santos como departamento e nas próprias dependências da Instituição Nosso Lar. Bebé, já aposentada do magistério, veio a coordenar as atividades da creche. A essa altura já estava desativada a atividade de oferecer casas/lares a necessitados na Instituição Nosso Lar e na Casa Transitória.

Na realidade existiam apenas duas instituições com personalidade jurídica: a Instituição Nosso Lar, incluindo a Casa Transitória e a Creche, e, a Casa da Sopa Emília Santos, incluindo o Centro Espírita Luz e Fraternidade.

Assinalamos que as construções da Casa da Sopa, do Centro e da Creche foram de responsabilidade de Albino Marinelli, antigo construtor credenciado pelo CREA, e tio de Rolandinho e Bebé.

Essa é a síntese do esforço intenso de Rolandinho, Emília Santos, Bebé e vários colaboradores dedicados que fundaram a Instituição Nosso Lar, e que num prazo curto de tempo resultou nos desdobramentos: Casa Transitória, Casa da Sopa Emília Santos, Creche João Luiz dos Santos e Centro Espírita Luz e Fraternidade.

 

 

Observação - Fontes:

 

Os dados sobre as instituições e as biografias de várias pessoas citadas encontram-se em:

- Carvalho, Antonio Cesar Perri. Histórico da Instituição Nosso Lar. Primeiros tempos: http://grupochicoxavier.com.br/historico-da-instituicao-nosso-lar-primeiros-tempos/

- Carvalho, Antonio Cesar Perri. O espiritismo em Araçatuba. Araçatuba: UMEA. 1975;

- Gobi, Ismael (Org.). Obra de vultos (Vol I). Araçatuba: USE Regional de Araçatuba. 1999;

- Gobi, Ismael (Org.). Obra de vultos (Vol II). Araçatuba: USE Regional de Araçatuba. 2000.

 

Extraído do home page da Instituição Nosso Lar:
http://nossolararacatuba.com.br/?page_id=8;
e de: http://grupochicoxavier.com.br/historico-da-instituicao-nosso-lar-desdobramentos-iniciais/

 

 


Mocidade Espírita Irma Ragazzi Martins da Instituição Nosso Lar. Araçatuba, SP


Centro Espírita Luz e Fraternidade. Araçatuba, SP.

Foto na manhã do dia 22 de abril de 1973, no encerramento da 16ª. COMENOESP, quando Divaldo participou de uma entrevista com ampla participação dos presentes. A partir da esquerda: Ismael Gobbo, César Perri, Therezinha Oliveira, Divaldo Pereira Franco e Israel Antonio Alfonso.


Casa da Sopa Emilia Santos e C.E. Luz e Fraternidade.

 

 

Fonte: http://www.noticiasespiritas.com.br/2018/JULHO/05-07-2018.htm

 

 

Leiam também de: Antonio Cesar Perri de Carvalho
seta dupla verde claro direita  Benedita Fernandes - biografia
seta dupla verde claro direita  Chegar junto aos simples
seta dupla verde claro direita  Congressos espíritas: por quê? como? para quê?
seta dupla verde claro direita  Cristianismo, Espiritismo e o Anticristo - resenha da obra Leopoldo Cirne
seta dupla verde claro direita  Cultos religiosos em Cuba
seta dupla verde claro direita  50 anos de fundação da Mocidade Espírita “Irmã Ragazzi Martins, de Araçatuba
seta dupla verde claro direita  A edificação na 1ª. Epístola aos Coríntios
seta dupla verde claro direita  Epístola aos Gálatas e as “marcas do Cristo”
seta dupla verde claro direita  A Gênese - 150 anos, valor da obra e suas edições
seta dupla verde claro direita  Histórico da Instituição Nosso Lar - Primeiros tempos
seta dupla verde claro direita  Histórico da Instituição Nosso Lar - Desdobramentos iniciais
seta dupla verde claro direita  Memória do Espiritismo
seta dupla verde claro direita  Pesquisa Nacional para Espíritas - 2017. Alguns comentários
seta dupla verde claro direita  Primeiro romance espírita – 150 anos
seta dupla verde claro direita  Uma década após Chico Xavier
seta dupla verde claro direita  Os valores segundo Paulo e perfil para os trabalhadores

 

 



topo