Espiritualidade e Sociedade



Alamar Régis Carvalho

>    Conselho Espírita do Rio de Janeiro - Uma grande idéia

Artigos, teses e publicações

Compartilhar

Alamar Régis Carvalho
>    Conselho Espírita do Rio de Janeiro - Uma grande idéia

 

Um dos grandes problemas que o Espiritismo enfrenta é o relacionamento entre os espíritas. Incomparavelmente menor que os Quevedos da vida, que os padres Jonas Abib e que os pastores que utilizam-se de rádios e televisões religiosas para denegrirem a imagem da doutrina.

Em quase tudo quanto é canto a gente vê as lamentáveis competições no meio espírita, as disputas por cargos, principalmente em grandes instituições espíritas (quanto maior a movimentação financeira da instituição, maior a disputa por um cargo em diretoria. Vide Federação Espírita de São Paulo), ciumeiras, perseguições a companheiros e até mesmo os conhecidos ódios em relação aos que pensam diferente ou que lêem autores considerados polêmicos.

No Rio de Janeiro isto não foi diferente ao longo destas décadas de Espiritismo, e víamos coisas que não valem nem a pena serem narradas aqui, já que, embora devamos, sim, falar também nas coisas ruins que têm poluído o nosso movimento, num momento deste vale muito a pena ressaltarmos a nova experiência que está se verificando no Rio.

Já que eu estou sempre ganhando novos amigos, a cada dia que passa, devido ao repasse das coisas que escrevo, com este meu estilo onde não abro mão da autenticidade sem qualquer espaço para máscara e teatralização comportamental, não faz muito tempo, ganhei a amizade do companheiro Mozart, que é um dos trabalhadores desta nova idéia que surgiu no Rio, ele que primeiro me falou sobre o Conselho Espírita do Estado do Rio de Janeiro, CEERJ.

Gostei do novo amigo, achei interessante a forma como ele escreve, gostei dos seus princípios e sobretudo do seu entusiasmo ao falar sobre o Conselho do Rio, mas, calejado, perguntei-lhe:

- “Não será a mesma coisa de sempre, apenas com uma roupagem nova, meu amigo?”

Em várias trocas de e-mails ele fez questão de colocar que as cabeças que estão à frente do CEERJ são bem arejadas, constituída por pessoas racionais, equilibradas emocionalmente, coerentes com a doutrina e que, com certeza, não veríamos mais a prática de certos absurdos que estávamos acostumados a ver.

Uniram-se a antiga Federação Espírita do Rio de Janeiro e a União das Sociedades Espíritas do Estado do Rio de Janeiro, USEERJ, nesta maravilhosa idéia do CEERJ.

Que coisa mais maravilhosa, gente, vermos que a coerência falou mais alto no Rio. Sempre parto de um princípio de raciocínio que diz o seguinte:

- Se os espíritas não são capazes de viverem unidos, entrosados, de se amarem, de conviverem fraternalmente entre si, no exercício da tolerância, da compreensão, do perdão e do autêntico amor, que moral têm para pregarem todos esses valores nas tribunas dos centros para OS OUTROS praticarem?”.

E tenho questionado o Mozart, bem como outros amigos do movimento espírita do Rio, curiosamente, acerca desta nova idéia de unificação, que me deixou muito empolgado:

- Mas amigos, então quer dizer que não vamos ter mais caciques no movimento espírita carioca? Não vamos mais ter aqueles que querem impor o que o centro espírita A ou B deva ou não fazer, sob pena de registro no index? Não vamos mais ter perseguições e processos de difamações contra os que pensam diferente ou que tenham a audácia de discordarem de determinada liderança?

Para minha alegria eles dizem que estes detalhes também estão sendo muito bem trabalhados e que a relação humana entre os espíritas é algo que está sendo pensada com muita prioridade, para que o movimento como um todo se entenda bem e parta, finalmente, para a grande marcha em função da divulgação do Espiritismo.

É bom demais ouvir isto, gente!!! É maravilhoso saber de uma coisa desta.

Recentemente, em Vitória da Conquista, tive a oportunidade de estar, mais uma vez, ao lado do querido José Raul Teixeira, este que considero o bom senso que o movimento precisa ouvir sempre, quando conversamos e eu o perguntei sobre a idéia do CEERJ, já que ele conhece a fundo a história da antiga FEERJ e sua relação com a USEERJ.

Raul me disse que ele também acredita demais neste novo momento em que vive o movimento do Rio, está feliz, satisfeito e na expectativa de que coisas boas virão.

E VIRÃO MESMO, COM CERTEZA.

Eu gostaria de sugerir aos inúmeros amigos que tenho, não apenas na Cidade Maravilhosa mas em todo o Estado do Rio de Janeiro, que abracem esta idéia. Mesmo aqueles que foram terrivelmente atacados, injuriados, discriminados, perseguidos, boicotados e sabotados pela doença espiritual de alguns que “mandavam” no Espiritismo no Rio, que relevem tudo isto, em nome da Doutrina, e ajudem a fortalecer essa saudável e promissora união pela causa. Eu também fui muito sacaneado no Rio, inclusive recentemente, da última vez que coloquei no ar a Rede Visão funcionando 24 horas, em TV Digital, quando, levado por um amigo a instituições espíritas que estariam dispostas a dar as mãos ao projeto, vibrando com o projeto, por trás aparece a pessoa de determinada criatura (muito poderosa) do movimento espírita carioca, com a postura maléfica de dizer às pessoas “cuidado com o Alamar”, jogando o veneno, mas não dizendo que diabo de “cuidado” era esse que as pessoas deveriam tomar.

Não podemos guardar qualquer tipo de mágoa nos momentos normais quanto mais diante de um momento tão especial como este. Temos que superar tudo, principalmente as nossas contrariedades em relação aos perturbados “donos” do movimento.

Portanto, vamos dar as mãos ao Conselho Espírita do Estado do Rio de Janeiro, evitando qualquer tipo de crítica ao que eles fizerem, sobretudo neste momento inicial de nova estrutura, já que é absolutamente normal nem tudo sair perfeitamente bem, como se poderia esperar.

É hora de darmos uma reviravolta neste movimento espírita como um todo.

Vocês já imaginaram se São Paulo também entrar nessa onda, a Federação Espírita parar com essa palhaçada desse seu relacionamento com a USE, que é uma vergonha, e criarem também o Conselho Espírita do Estado de São Paulo, todo mundo de mãos dadas, inclusive com a Aliança Espírita e todo mundo?

Já dimensionaram as conseqüências disto em termos de movimento espírita nacional, com repercussão até no exterior onde tem inúmeros brasileiros fazendo espiritismo copiando as mesmas bobagens que são feitas por aqui?

Viva o Rio, viva o bom senso entre os espíritas, viva a coerência com a Doutrina e com Kardec. Visitem a página do CEERJ na internet. http://www.ceerj.org.br

Carinhosamente.

Alamar Régis Carvalho

 


topo

 

Leiam outros textos de Alamar Régis Carvalho:

->  54a. Semana Espírita de Vitória da Conquista, Bahia - um grande exemplo para o movimento espírita
->  Conselho Espírita do Rio de Janeiro, uma grande idéia
->  Entre a moralidade e a palhaçada
->  Os Espíritas e Maria
->  Isto não é Espiritismo!!!!
->  Relacionamento entre os espíritas
->  O trabalho da grande imprensa e a intolerância de alguns espíritas
->  Veja se tem sentido