João Batista Cabral

>    Conhecer a si mesmo

Artigos, teses e publicações

Compartilhar

João Batista Cabral
>    Conhecer a si mesmo


O homem para transformar-se, necessariamente, passará antes pelo estágio do autoconhecimento, estabelecendo para isso, como ponto de partida um programa tríplice para que brilhe a sua Luz mediante a Meditação, o Estudo e o Trabalho.

A Meditação, o Estudo e o Trabalho levarão o homem a conhecer a si próprio, o chamado autoconhecimento, elevando-se, desta forma, ao primeiro degrau no sentido da sua transformação. Ao procurar conhecer-se, estará em prática pondo a que foi preconizado por Sócrates no Século V a.C. quando fundamentando no princípio da estrutura moral da sua filosofia o homem, antes de qualquer coisa, precisa conhecer a si mesmo. Isto é, o homem para transformar-se necessita, primeiramente, conhecer a si próprio para que só então possa alçar o vôo na sua evolução.

E como fará o homem para conhecer a si próprio e, assim, galgar o primeiro degrau de transformação? A resposta veio de outro sábio do passado o filosofo Agostinho (Livro dos Espíritos, Pergunta 919): “Quando estive na Terra, no fim de cada dia, interrogava minha consciência passava em revista o que havia feito e me perguntava se não havia faltado ao cumprimento de algum dever e se ninguém teria motivo para se queixar de mim; se aos outros fiz o que gostaria que fizessem a mim. E, assim, ia separando o joio do trigo, na minha colheita moral diária (Mt. 13:30). Foi com este procedimento que cheguei a me conhecer e ver aquilo que em mim necessitava de reforma”. Agostinho meditou, estudou e trabalhou, conhecendo primeiro, a si próprio, e, depois, transformou-se, isto é, brilhou a sua Luz subindo ao primeiro degrau da evolução.

Por meio da Meditação o homem volve-se para dentro de si próprio, onde encontra a Deus, no esplendor de sua Glória, na plenitude do seu poder e na ilimitada expansão do seu Amor. “O reino de Deus está dentro de vós” (Lc. 17:20-21), pois toda alma, no campo da Meditação, transforma-se num canteiro de possibilidades infinitas à semeadura espiritual. Isto ocorre porque é a meditação o santuário invisível para o abrigo do Espírito em dificuldade e a convite de Deus.

Pelo Estudo sério e continuado (Livro dos Espíritos-Princípios da Doutrina Espírita-Introdução) o homem bebe da fonte da libertação das preocupações vulgares e esquece as tribulações da vida, pois é o Estudo – seara do aprendizado – semelhante à plantação em que na leira se desenvolvem as sementes multiplicadas centenas de vezes.

Por meio do Trabalho se retém o ministério divino da iluminação íntima e que funciona como o instrutor de aperfeiçoamento e guia-nos na descoberta de nossas possibilidades no processo evolutivo do aperfeiçoamento. Afinal, “Buscai e achareis, ou Ajuda-te e o céu te ajudará é o princípio da Lei do Trabalho, e, por conseguinte, da Lei do Progresso, porque o progresso é filho do Trabalho e o Trabalho coloca em ação as forças da inteligência” do autoconhecimento e da transformação do homem. Paulo em Carta aos Romanos (Rm. 12-2), orientava seus discípulos dizendo “transformai-vos pela renovação de sua mente, para que proveis qual é a boa e agradável e perfeita vontade de Deus”. Isto é, pelo autoconhecimento transformai-vos, renovai-vos, conhecendo, porém, primeiramente, a si próprios.

A verdade é que na maioria das vezes procuramos por Deus onde sabemos que não poderemos encontrá-lo, porém, se O procurássemos dentro de nós mesmos, no segredo do nosso coração, no critério de nossa razão, já O teríamos encontrado! Porque Deus está em toda parte onde a Sua grandeza puder se manifestar e jamais nos prejuízos que inventamos para infelicitar a nós próprios e ao nosso próximo. Suas Leis são claras e simples. Cumpre, no entanto, que saibamos procurar com atenção e respeito a fim de podermos encontrá-lo! Tal a convicção e o respeito pela idéia de Deus que será obra de nosso próprio esforço. É favor que não receberemos de outrem, quando muito, alguém poderá apontar-nos o caminho a seguir para encontrá-lo nos acontecimentos de nossa própria vida e, assim, nos esclarecermos na Sua Luz. Esta nova situação indicará que ultrapassamos o estágio do autoconhecimento e adentramos, assim, no primeiro degrau da transformação.



João Batista Cabral -
Presidente da ADE-SERGIPE. Jornalista e Radialista.
www.ade-sergipe.com.br


Fonte: - http://www.luzdoespiritismo.com/Arquivos/conhecer_a_si_mesmo_cabral_art.doc

 



topo