Espiritualidade e Sociedade





Eliseo Baldovino


>    Evolução histórica do pensamento espiritual e os fenômenos espíritas

Artigos, teses e publicações

Compartilhar

Eliseo Baldovino
>   Evolução histórica do pensamento espiritual e os fenômenos espíritas

 

O pensamento espiritual, caracterizado pela crença na existência da alma e na sua imortalidade, possui íntima relação com a evolução dos fenômenos espirituais, e, mais particularmente, com a evolução histórica dos fenômenos espiritistas, que datam desde a mais remota Antiguidade e que têm sua base doutrinária na certeza da comunicabilidade dos Espíritos.

Os fenômenos espíritas são tão antigos quanto o mundo, disse com muita propriedade Gabriel Delanne (1857-1926), apóstolo do Espiritismo na França, em sua obra homônima: Le Phénomène Spirite. (1)

 

A Antiguidade

As crenças na imortalidade da alma e nas comunicações entre os vivos e os mortos eram gerais nos povos da Antiguidade. Várias provas de fenômenos de todos os gêneros têm sido extraídas dos egípcios (3000 anos a.C.), dos Vedas –conjunto de textos sagrados indianos, cuja antiguidade data de 2000 anos a.C. etc. Também aconteceram inumeráveis desses fenômenos entre os hebreus (1350 a.C.), entre os gregos (700 a.C.), os romanos (500 a.C.) e entre muitos outros povos, registrando igualmente os fenômenos mediúnicos ocorridos, posteriormente, na Idade Média.

Allan Kardec (1804-1869), o emérito Codificador da Doutrina Espírita, afirma que, entre os romanos, encontramos o histórico relato do escritor latino, teólogo e doutor da Igreja, Tertuliano (c. 150 d.C. – 222), sobre as mesas girantes e falantes; essa dança das mesas já era célebre em Roma nos primeiros séculos da nossa era. Eis como se expressava Tertuliano, no capítulo XXIII da sua Apologética, ao falar dos médiuns do seu tempo:

Se é dado aos magos o poder de fazer com que os fantasmas apareçam, de evocar as almas dos mortos, de forçar a boca das crianças a dar oráculos; (…) se dirigem sonhos, se fazem conjurações, se têm às suas ordens a Espíritos (…), pela virtude dos quais as cadeiras e as mesas que profetizam são um fato comum etc.(2)

 

Os tempos modernos

Nos tempos modernos também é abundante a evolução histórica do pensamento espiritual junto dos fenômenos espíritas, como podemos constatar com a família Fox (1848), com as perseguições nos Estados Unidos (Rochester) e com o testemunho dos sábios da época: o professor Mapes, o juiz Edmonds, as experiências de Robert Hare e de Dale Owen.

Na Inglaterra aconteceram as notáveis pesquisas de William Crookes e suas conclusões favoráveis ao Espiritismo, registradas na prestigiosa Sociedade Dialética de Londres; são de grande relevância, até hoje, os testemunhos científicos de Alfred Wallace, de Varley, de Morgan, de Oxon, do Dr. Sexton, do Dr. Chambers e do Dr. Gully.

Na França, os trabalhos do barão de Guldenstubbé, as experiências de Victor Hugo, e as incomparáveis Obras de Allan Kardec e de seus continuadores León Denis, Gabriel Delanne e Camille Flammarion. Nesse período há uma grande adesão de homens e de mulheres célebres.

Na Alemanha, as investigações do Dr. Kerner, os fatos de Mottlingen, as experiências de Zöllner, de Fechner e de Ulrici.

Na Rússia, o professor Boutlerow fez experiências com o médium Daniel Dunglas Home; os trabalhos de Alexandre Aksakof, conselheiro do Czar, se desenvolveram com grande repercussão.

Na Itália, o professor Ercole Chiaia, de Nápoles, realizou inumeráveis experiências com a médium Eusápia Paladino, como também Cesare Lombroso.

Na Espanha, destacou-se primeiramente José María Fernández Colavida (chamado com toda justiça: o Kardec espanhol), depois o visconde Torres-Solanot e outros.

Na Áustria, as experiências feitas pelo arquiduque Rodolfo, em companhia de Bastian, médium de materializações etc.

 

Transição Planetária

A evolução histórica do pensamento espiritual continua desenvolvendo-se na Nova Era, em cujo amanhecer encontramo-nos nestes momentos graves de transição entre os séculos XX e XXI.

Uma profunda mensagem do Espírito Bezerra de Menezes, através da psicofonia do médium Divaldo Pereira Franco,(3) ilustra os objetivos deste Período de Transição, esclarecendo quais são as tarefas que correspondem a nós, os espíritas atuais, perante a mediunidade com Jesus, em face à obsessão, frente aos fenômenos espíritas e ante a edificação de um mundo melhor. Com destaques nossos em negrito transcrevemos na íntegra a belíssima mensagem do médium baiano, que também é um grande alerta para todos os que estamos vivendo esta Transição Planetária.

 

A profunda mensagem de Bezerra de Menezes

 

Meus filhos:

Que Jesus nos abençoe.

A sociedade terrena vive, na atualidade, um grave momento mediúnico no qual, de forma inconsciente, dá-se o intercâmbio entre as duas esferas da vida. Entidades assinaladas pelo ódio, pelo ressentimento, e tomadas de amargura cobram daqueles algozes de ontem o pesado ônus da aflição que lhes tenham proporcionado.

Espíritos nobres, voltados ao ideal de elevação humana sincronizam com as potências espirituais na edificação de um mundo melhor. As obsessões campeiam de forma pandêmica, confundindo-se com os transtornos psicopatológicos que trazem os processos afligentes e degenerativos.

Sucede que a Terra vivencia, neste período, a grande transição de mundo de provas e de expiações para mundo de regeneração.

Nunca houve tanta conquista da ciência e da tecnologia, e tanta hediondez do sentimento e das emoções. As glórias das conquistas do intelecto esmaecem diante do abismo da crueldade, da dissolução dos costumes, da perda da ética e da decadência das conquistas da civilização e da cultura…

Não seja, pois, de estranhar, que a dor, sob vários aspectos, espraia-se no planeta terrestre não apenas como látego mas, sobretudo, como convite à reflexão, como análise à transitoriedade do corpo, com o propósito de convocar as mentes e os corações para o ser espiritual que todos somos.

Fala-se sobre a tragédia do cotidiano com razão. As ameaças de natureza sísmica, a cada momento tornam-se realidade tanto de um lado como de outro do planeta. O crime campeia à solta e a floração da juventude entrega-se, com exceções compreensíveis, ao abastardamento do caráter, às licenças morais e à agressividade.

Sucede, meus filhos, que as regiões de sofrimento profundo estão liberando seus hóspedes que ali ficaram, em cárcere privado, por muitos séculos e agora, na grande transição, recebem a oportunidade de voltarem-se para o bem ou de optar pela loucura a que se têm entregado. E esses, que teimosamente permanecem no mal, a benefício próprio e do planeta, irão ao exílio em orbes inferiores onde lapidarão a alma auxiliando os seus irmãos de natureza primitiva, como nos aconteceu no passado.

Por outro lado, os nobres promotores do progresso de todos os tempos passados também se reencarnam nesta hora para acelerar as conquistas, não só da inteligência e da tecnologia de ponta, mas também dos valores morais e espirituais. Ao lado deles, benfeitores de outra dimensão emboscam-se na matéria para se tornarem os grandes líderes e sensibilizarem esses verdugos da sociedade.

Aos médiuns cabe a grande tarefa de ser ponte entre as dores e as consolações. Aos dialogadores cabe a honrosa tarefa de ser, cada um deles, psicoterapeutas de desencarnados, contribuindo para a saúde geral. Enquanto os médiuns se entregam ao benefício caridoso com os irmãos em agonia, também têm as suas dores diminuídas, o seu fardo de provas amenizadas, as suas aflições contornadas, porque o amor é o grande mensageiro da misericórdia que dilui todos os impedimentos ao progresso – é o sol da vida, meus filhos, que dissolve a névoa da ignorância e que apaga a noite da impiedade.

Reencarnastes para contribuir em favor da Nova Era. As vossas existências não aconteceram ao acaso, foram programadas. Antes de mergulhardes na neblina carnal, lestes o programa que vos dizia respeito e o firmastes, dando o assentimento para as provas e as glórias estelares.

O Espiritismo é Jesus que volta de braços abertos, descrucificado, ressurreto e vivo, cantando a sinfonia gloriosa da solidariedade.

Dai-vos as mãos! Que as diferenças opinativas sejam limadas e os ideais de concordância sejam praticados. Que, quaisquer pontos de objeção tornem-se secundários diante das metas a alcançar.

Sabemos das vossas dores, porque também passamos pela Terra e compreendemos que a névoa da matéria empana o discernimento e, muitas vezes, dificulta a lógica necessária para a ação correta. Mas ficai atentos: tendes compromissos com Jesus

Não é a primeira vez que vos comprometestes enganando, enganando-vos. Mas esta é a oportunidade final, optativa para a glória da imortalidade ou para a anestesia da ilusão. Ser espírita é encontrar o tesouro da sabedoria.

Reconhecemos que na luta cotidiana, na disputa social e econômica, financeira e humana do ganha-pão, esvai-se o entusiasmo, diminui a alegria do serviço, mas se permanecerdes fiéis, orando com as antenas direcionadas ao Pai Todo-Amor, não vos faltarão a inspiração, o apoio, as forças morais para vos defenderdes das agressões do mal que muitas vezes vos alcança.

Tende coragem, meus filhos, unidos, porque somos os trabalhadores da última hora, e o nosso será o salário igual ao do jornaleiro do primeiro momento.

Cantemos a alegria de servir e, ao sairmos daqui, levemos impresso no relicário da alma tudo aquilo que ocorreu em nossa reunião de santas intenções: as dores mais variadas, os rebeldes, os ignorantes, os aflitos, os infelizes, e também a palavra gentil dos amigos que velam por todos nós.

Confiando em nosso Senhor Jesus Cristo, que nos delegou a honra de falar em Seu nome, e em Seu nome ensinar, curar, levantar o ânimo e construir um mundo novo, rogamos a Ele, nosso Divino Benfeitor, que a todos nos abençoe e nos dê a Sua paz.

São os votos do servidor humílimo e paternal de sempre,
Bezerra.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

(1) DELANNE, Gabriel. Le Phénomène Spirite. Étude historique [Estudo histórico]. Paris: Chamuel, éditeur, 1893. Biblioteca Espírita Virtual de Obras Raras. FEP (www.bibliotecaespirita.com.br).

(2) KARDEC, Allan. Revista Espírita – Periódico de Estudios Psicológicos. Ano 1860, volume III. Tradução do francês para o espanhol de Enrique Baldovino, com notas do tradutor números 111 e 579 sobre Tertuliano. Boletim da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas, março de 1860, pp. 99-100. Brasília: EDICEI, 2012.

(3) FRANCO, Divaldo Pereira. Mensagem do Espírito Bezerra de Menezes. Psicofonia recebida em Los Angeles, Estados Unidos, em 13 de novembro de 2010.

 

 

Fonte: http://www.mundoespirita.com.br/?materia=evolucao-historica-do-pensamento-espiritual-e-os-fenomenos-espiritas

 



topo

 

Acessem os Artigos, teses e publicações: ordem pelo sobrenome dos autores :
- A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O
- P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z - Allan Kardec
* lembrete - obras psicografadas entram pelo nome do autor espiritual